• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 fatos brutais da vida no Camboja de Pol Pot

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      12/04/19 às 18h41

Oficialmente chamado de Reino do Camboja, este é um Estado soberano. Ele fica localizado na porção sul da península da Indochina, no sudeste asiático. Sua área territorial é de 181.035 quilômetros quadrados. O Camboja é o 88º maior do mundo em área. Ele faz fronteira com a Tailândia, Laos, Vietnã e Golfo da Tailândia.

Em 1975, um grupo comunista liderado por Pol Pot tinha assumido a capital do Camboja, Phnom Penh. Passado pouco tempo, eles controlaram o país e mudaram seu nome para Kampuchea Democrático. O objetivo deles era criar uma sociedade agrária comunista. O grupo logo foi deposto em 1979. E mesmo com um reinado curto, eles mostraram que muitos danos conseguiram ser feitos. Mostramos aqui algumas das coisas que o país passou nessa época.

1 - Sem propriedade privada

No governo de Pol Pot, verdadeiramente e idealmente socialista, não existia propriedade pessoal. Todas as propriedades foram apreendidas e itens básicos como roupas e outras coisas indispensáveis para viver, eram escolhidas e consideradas propriedade do governo. O que Pol Pot queria era o controle total da vida das pessoas. E possuir a população em todos os sentidos. E queria dar a ilusão de que todos eram iguais e estavam sendo atendidos de acordo com suas necessidades.

2 - Coisas divertidas proibidas

A primeira coisa que o regime de Pol Pot proibiu foi a religião. Ele também matou vários monges budistas. Além da religião, a maior parte de qualquer diversão do país foi proibida. Não era permitido o uso de joias e o jogo foi proibido. E várias práticas populares de entretenimento também foram proibidas, porque Pol Pot queria separar as pessoas da antiga cultura.

3 - Pessoas "perigosas" mortas

Antes de virar um ditador, Pol Pot era professor. Então ele achava que os tipos mais perigosos de pessoas eram os intelectuais que podiam subverter as pessoas contra ele. Por isso, qualquer pessoa com uma educação maior era muito perigosa para ele e tinha que ser presa ou assassinada. Médicos, funcionários públicos, professores, policiais e várias outras pessoas foram mortas por causa disso.

4 - Centro de detenção de infames

Quando o partido de Pol Pot assumiu o poder, eles declararam ano zero na história do Camboja e uma onda de detenções em massa foi feita. Segundo estimativas colocam, o número de centros em 150 e alguns perto dos 200. O mais infame foi o chamado S-21. Estima-se que 14 mil pessoas foram presas nele e somente sete tenham sobrevivido.

5 - Forçadas a sair de casa

O ditador decidiu fazer uma coisa que até mesmo os países comunistas consideravam extremo. Ele queria acabar completamente com as áreas urbanas. Todos foram forçados a sair das cidades e enviados às áreas rurais para trabalhar. Isso claro, sendo imposto pelos soldados do partido que queria garantir que o país se transformasse em uma sociedade agrária.

6 - Hierarquia social

No processo de mudança da sociedade, Pol Pot criou quatro novas categorias de pessoas. Mas a maioria das pessoas permaneceu no status em que foram colocadas quando o ditador assumiu o poder. E a ascensão era raridade.

7 - Famílias separadas

Umas das coisas que fez o governo de Pol Pot ficar conhecido, foi a separação de famílias. Quando as pessoas foram forçadas a sair das áreas urbanas e irem pro campo, as famílias eram separadas. O ditador fez isso para transformar o seu regime em uma máquina perfeitamente funcional. Isso porque ele considerava mais fácil fazer uma lavagem cerebral nas pessoas quando a unidade familiar estava desfeita.

Próxima Matéria


Matérias selecionadas especialmente para você

Via   Toptenz  
Imagens Toptenz
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+