Curiosidades

Amigos passeiam com jiboia de quase 3 metros em shopping

0

Para quem tem um animal de estimação é mais do que natural que a pessoa queira levá-lo para dar um passeio. Contudo, nem sempre esse pet é um gato ou um cachorro, o que pode levar à estranheza ou até mesmo pânico nas outras pessoas, principalmente quando esse pet é uma jiboia.

É incomum vermos uma pessoa ter uma jiboia como animal de estimação, mas esse é o caso do profissional de tecnologia Viktor Alves Pulcherio, de 37 anos. Ele levou Gigi, como a cobra é chamada, para dar um passeio no Pantanal Shopping, em Cuiabá, no último domingo.

Claro que o passeio com a jiboia provocou o maior alvoroço entre as pessoas que estavam no shopping. Além de ser um cobra, o que por si só já assusta, o animal de 10 anos mede 2,90 metros e pesa 15 quilos. Mas além do medo, a jiboia também despertou a curiosidade nas pessoas que passavam por Viktor e Gigi.

Passeio

O passeio não ficou limitado entre as pessoas de Cuiabá, isso porque fotos dos dois no shopping logo viralizaram nas redes sociais no final de semana.

Viktor tem a cobra como pet há dois meses, quando ele a comprou em uma empresa especializada no manejo de serpentes, certificada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama).

De acordo com o jovem, ele quis passear com um amigo e com Gigi no final de semana, hábito que ele já tem, mas geralmente faz o passeio nas segunda ou terças-feiras. No entanto, dessa vez, Viktor decidiu ir passear com sua jiboia em um domingo, mas não qualquer domingo, no Dia do Meio Ambiente.

Durante o passeio, segundo Viktor, a jiboia foi carregada a maior parte do tempo pelo amigo dele. O passeio começou pelo Parque das Águas e depois eles foram para o shopping.

Jiboia

G1

O dono da cobra contou que ele escreveu uma carta à administração do shopping para conseguir uma autorização oficial do local para poder entrar com sua jiboia. Nessa carta, ele explicou que a cobra era saudável, criada em cativeiro e que não oferecia riscos às demais pessoas que estivessem frequentando o shopping no mesmo momento.

Segundo Viktor, a sua carta não foi respondida até a segunda-feira dessa semana.

O passeio dele e de Gigi não durou muito tempo. Ele, seu amigo e a jiboia andaram somente pelo térreo do shopping por causa de uma pequena aglomeração que se formou por conta da cobra. Algumas pessoas queriam tirar foto com ela, tocar na jiboia e outras pessoas se sentiram incomodadas com a presença do animal e reclamaram com o segurança do local.

Então, imediatamente, Viktor e seu amigo foram orientados a se retiraram do shopping para não provocar um pânico generalizado nas pessoas. Na visão de Viktor, esse passeio serviu para mostrar às pessoas a importância da consciência ambiental e animal, e para que elas entendam que não é preciso matar uma cobra quando se vê uma.

“Eu fiz esse passeio para conscientizar. As pessoas têm medo da cobra e ouvi até de alguns lá na hora de que já até mataram algumas cobras por conta do medo. Mas, quando viram a Gigi, perceberam que não tinha porque ter esse receio”, explicou.

Animal de estimação

G1

Sendo seu pet, Viktor mantém Gigi sempre bem alimentada, com um coelho como refeição por semana. E ele diz que, em seu ponto de vista, compensa muito mais ter uma jiboia como animal de estimação do que um cachorro.

“Ela é bem folgada e gosta do sofá. Se você senta, ela já vem dar um ‘oi’. Ela é muito tranquila e acostumada com a presença humana”, disse.

Pode parecer estranho para a maioria das pessoas quem gosta de animais exóticos, mas no caso de Viktor, esse amor pelos animais exóticos começou desde que ele era criança.

“Tenho esse amor pelos animais selvagens desde pequeno. Eu pegava eles e levava para casa e depois soltava. Então, elas são inofensivas ao ser humano. É só ter consciência de diferenciar das peçonhentas e não agir com medo”, contou ele.

Registro

G1

De acordo com os registros do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), existem 189 espécies de cobras na Amazônia. Uma dessas espécies é a de Gigi.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) explicou, através de uma nota, que é sim possível ter a guarda provisória por parte do órgão estadual apenas de animais silvestres que foram resgatados. Agora, no caso de animais em cativeiro, como é o caso de Gigi, essa autorização deve ser feita pelo Ibama.

“O proprietário adquiriu a cobra de criadouro mediante compra. Esta possibilidade é regulada pelo Ibama, e está descrita na resolução Conama 489/2018. Portanto, quem quiser adquirir uma jiboia, deve procurar um vendedor credenciado e autorizado pelo Ibama”, informou a nota.

Fonte: G1

Imagens: G1, Twitter

Califórnia autoriza o uso de táxi sem motorista

Matéria anterior

Vídeo dá pista de personagem possuído por Vecna em ‘Stranger Things’

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos