Curiosidades

Benefícios e perigos de se passar limão debaixo do braço

0

O uso de limão vai muito além daquele gostinho único no churrasco ou daquela limonada bem gelada. Afinal, as pessoas usam essa fruta cítrica em certos cuidados com a pele, em especial, naquela que se encontra nas axilas.

Sendo assim, nesse post iremos mostrar quais benefícios o limão realmente consegue propiciar ao ser esfregado debaixo do braço. Além disso, traremos quais o riscos dessa prática popularmente difundida.

Fonte: Yaroslav Shuraev

Benefícios

De início, sabemos que nossas axilas tendem a escurecer com o passar dos anos. As razões disso são diversas e podemos incluir a genética, os problemas hormonais, a diabetes e as inflamações que se dão pelo atrito durante as atividades do dia a dia.

Seja qual for o fato gerador, o limão consegue sim lidar com a axila escura pois ele é um branqueador natural. Além disso, essa fruta é competente em eliminar bactérias e higienizar a região, o que auxilia no combate ao mau odor, também conhecido como “cecê”.

Em tais procedimentos, o usuário deve esfregar este pomo debaixo do braço e deixar o suco agir por 10 minutos. Nesse sentido, a pessoa também pode aderir à mistura de açafrão, mel ou iogurte natural com o suco de limão.

Fonte: Sakshi Patwa

Para se ver resultados positivos, a recomendação é que se repita esses processos de três a quatro vezes por semana. No entanto, mais do que regular a frequência, os dermatologistas alertam para o enxágue da região em que a fruta foi esfregada. Caso essa etapa seja mal feita, o limão pode deixar a situação pior do que está.

Perigos

Em síntese, o problema do uso deste pomo verde nas axilas está no fato das pessoas não terem a atenção necessária na hora de remover o suco do corpo. Dessa forma, a pessoa entra em contato com o sol tendo essa substância em sua pele, o que pode ser uma combinação para lá de perigosa.

Afinal, a luz solar, ao incidir na axila mal enxaguada, vai provocar uma fitofotodermatite. Em suma, o indivíduo que passa por isso sofre forte queimadura, que além de doer, vai deixar manchas. Portanto, se a intenção do uso de limão era deixar as axilas com um bom aspecto, o efeito será o contrário.

Por isso, os dermatologistas recomendam outros caminhos que não envolvam essa fruta ácida. Entre eles, está a aplicação de esfoliantes, hidratantes, óleos e desodorantes. Como resultado disso, é possível obter uma axila saudável que resista à ação escurecedora do tempo. Além disso, caso essas técnicas não façam efeito, o sujeito pode consultar um médico e conferir a possibilidade de se usar branqueadores de pele.

Fonte: Godisable Jacob

O limão na dieta

Definitivamente, a aplicação de limão na pele gera algumas ressalvas na comunidade médica. No entanto, uma coisa é certa: na dieta, essa fruta cítrica é sempre muito bem-vinda.

Conhece alguém que espreme esse pomo toda manhã? A técnica caseira faz sentido! Isso porque o consumo regular de limão retarda a digestão de açúcares e amidos, logo, a absorção de nutrientes se torna maior. Além disso, essa fruta aciona uma melhor produção de enzimas digestivas e de bile, substância sintetizada pelo fígado que ajuda na quebra das gorduras.

A propósito, o limão é repleto de vitamina C, a qual auxilia na absorção de ferro no organismo. Dessa forma, essa fruta cítrica é uma forte aliada na prevenção de anemias, principalmente quando ela vem nos temperos de saladas, já que as folhas verde-escuras são ricas fontes de ferro.

Por fim, vale lembrar que o pomo funciona como um poderoso antioxidante que neutraliza radicais livres. Estes são responsáveis por diversos danos às nossas células, o que, ao longo do tempo, vai gerando o envelhecimento precoce. O limão também estimula a produção de colágeno, proteína que estrutura a pele.

Portanto, esfregar limão debaixo do braço tem sim seus benefícios. Porém, considerando os alertas, a opção mais segura é sempre utilizar essa fruta em nossa dieta cotidiana.

Fonte: The Huffington Post, Viva Bem.

Cães e gatos: a razão por trás da inimizade entre pets

Matéria anterior

Pantanal: as diferenças entre o Jove atual e o da versão de 1990

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos