• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Cachorros são usados em presídios contra mau comportamento e o resultado não poderia ser diferente

POR Maria Ritha Paixão    EM Mundo Animal      18/04/19 às 14h00

Calma! Não é como os filmes violentos de cães que, a mando dos donos, comem o seu alvo. É totalmente o contrário. A cadeia do Condado de Fulton recebeu cachorros para acalmar os ânimos na prisão. E deu muito certo a ideia. Quem resiste a um olhar desses meigos desses cães?!

O objetivo do programa é melhorar o comportamento dos presidiário e reintegrá-los na sociedade. Lá dentro, os detentos têm a obrigação de cuidar dos cãezinhos. O ato parece simples, mas o contato com os animas surtiu efeitos positivos nas vidas dessas pessoas.

Segundo J. Lennox Gavin, no site Upsocl, os animais ajudam os internos a lidarem com os problemas e a violência tem diminuído bastante na prisão. Sinal que o projeto tem surtido resultados positivos. Alguns detentos dão o seu depoimento sobre a relação e de como o contato trouxe a alegria para atrás das grades.

O melhor amigo da sua saúde

Cachorros são realmente coterapeutas responsáveis por melhor a saúde de muita gente. A Terapia Assistida por Animais (TAA) utiliza desse método para cuidar de paciente. Em São Paulo, no Hospital Israelita Albert Einstein, já é permitida a entrada de cães na hora da visita.

Além de prisões, ONGs fazem esse trabalho em hospitais, escolas, centros de reabilitação. Não é necessário que seja um animal qualquer, pode ser até o próprio bichinho do paciente. "Qualquer paciente pode ser beneficiado, desde que não haja alguma contraindicação, como por exemplo, medo de animais, alergia ou problemas de respiração, entre outros", diz a psicóloga Fabiana Oliveira em relato para o site Minha Vida.

Além de hospitais, há lugares que podem despertar o estresse e a ansiosidade. As prisões são também lugares assim. Mas os cães alteraram suas rotinas gerando vida no dia a dia de cada detento. A terapia com cachorros traz muitos benefícios e tem o tabu desse método deve ser quebrado.

O contato com o animal libera hormônios como endorfinas beta, prolactina e ocitocina. A reação química provoca sensações de conforto e bem-estar diminuindo os níveis de adrenalina. E não é somente esse hormônio, acetilcolina vem junto nesse processo e causa tranquilidade, motivo da baixa na violência na cadeia do Condado de Fulton.

Cães melhoram crianças com autismo

O contato social para crianças com autismo é muito complicado de se estabelecer. Para melhorar esse quadro o cachorrinhos fazem essa ponte e provoca melhoras nas emoções exaltadas das crianças. "O bicho pode deixar a criança mais calma, eu mesmo trabalho com uma que até diminuiu a dose do remédio", conta José Luis Dorici para o site Minha Vida.

Para o autista, o animal abre as portas contra o isolamento e até nos casos relacionados à hiperatividade, tem dado a alegria de ótimos resultados. Aos poucos, a terapia com cães vem aumentando como alternativa eficaz de uso.

Próxima Matéria
Via   Minha Vida     Upsocl  
Maria Ritha Paixão
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+