Notícias

Cliente resgata R$ 1,65 milhão que estava “esquecido” no Banco Central

valor
0

Um correntista resgatou R$ 1,65 milhão esquecido em cotas de consórcio no site Valores a Receber, do Banco Central (BC). A informação foi revelada na última terça-feira, 29, pelo diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do Banco Central, Maurício Moura.

Segundo o diretor, esse foi o maior valor sacado desde que o sistema Valores a Receber começou a funcionar. “Essa pessoa não sabia que tinha R$ 1,65 milhão em nome dela no sistema financeiro e, graças ao sistema Valores a Receber, recuperou esse dinheiro. Imagino que ela tenha ficado bastante feliz”, disse Moura em um seminário de gestão pública promovido em Curitiba (Paraná).

De acordo com o Banco Central, de 32,4 milhões de pessoas que têm “valores esquecidos” nos bancos, 13,8 milhões receberão menos de 1 real. O levantamento interno apontou que 2,7 milhões de pessoas têm entre 100 e 1000 reais, enquanto aproximadamente 6,6 milhões têm entre 10 e 100 reais para receber. Outros 8,7 milhões têm entre 1 e 10 reais.

Além disso, há 36 mil brasileiros que receberão valores mais altos: entre 10 mil e 100 mil, e 364,8 mil têm entre 1 mil e 10 mil reais a receber. A grande maioria vai receber apenas valores irrisórios, enquanto alguns poucos têm direito a pegar uma quantia maior do Banco Central.

O que é o Sistema Valores a Receber

O Sistema Valores a Receber começou a funcionar no dia 24 de janeiro com a proposta de permitir que cada cidadão consiga reaver algum valor que esteja “esquecido” nos bancos ou instituições financeiras. A estimativa é que cerca de R$ 8 bilhões estejam “esquecidos” pelos brasileiros em conta corrente ou poupança encerradas com saldo disponível.

Na primeira fase do programa, que está em vigor, estão sendo devolvidos os valores esquecidos em contas correntes ou poupança, além de tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente. Já na segunda fase do Sistema, que terá início no dia 2 de maio, serão disponibilizados os valores e tarifas que foram cobrados indevidamente em operações de crédito. 

Raw Image

Essas operações são empréstimos e financiamentos, por exemplo. Contas em corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários, que foram finalizadas com saldo, também devem entrar nessa busca. É importante que cada cidadão verifique se há algum valor pendente em seu CPF e, assim, solicite a retirada do dinheiro. Entenda como fazer todo esse processo:

Como pesquisar por Valores a Receber

Para saber se você tem algum valor a receber, basta acessar o site do Sistema Valores a Receber. No site, é preciso digitar o CPF e a data de nascimento do interessado. Caso queira realizar a consulta para uma empresa, basta digitar o CNPJ e a data de abertura.

Feito isso, são dois resultados possíveis. Se você não tiver nenhum recurso a receber, aparecerá uma mensagem pedindo para que você retorne ao site a partir de 2 de maio, quando uma nova fase se inicia. Quem não recebeu na primeira etapa, pode ter algo a receber na segunda. 

Jornal Contábil

Já para aqueles que têm alguma quantia a ser devolvida, será informado no mesmo momento. Nesta etapa, não há a divulgação do montante total que cada pessoa tem a receber. A informação disponibilizada é somente se tem ou não algum recurso esquecido. Os valores só serão revelados em uma segunda etapa do processo.

A própria página da consulta orienta o usuário a voltar ao site para continuar o processo. No caso de quem tem valor a receber, o dinheiro será depositado via Pix, TED ou DOC em até 12 dias úteis. Nesse momento, é preciso que a pessoa tenha uma conta no portal gov.br. Vale ressaltar que o Banco Central não envia links ou entra em contato para confirmar dados pessoais e, caso isso aconteça, você pode estar sendo vítima de um golpe.

Fontes: Metrópoles e Blog TC

Para o que serve o exame de DNA

Matéria anterior

Vulcões de gelo gigantes em Plutão indicam que pode haver vida no planeta anão

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos