Curiosidades

Mulheres fofoqueiras eram tratadas de uma forma terrível na Idade Média

0

Desde a Idade Média, a fofoca é algo que incomoda bastante, principalmente aquele que é o objeto da fofoca. Mas, infelizmente, não há muita coisa que se possa fazer, para acabar com isso. Na verdade, nos dias de hoje, a fofoca alimenta negócios milionários. São revistas e programas de TV que tem como conteúdo central, a fofoca. Afinal, todos querem saber quais as novidades da vida íntima de famosos. Porém, houve um tempo em que a fofoca era tratada com punições dolorosas e humilhantes.

Diferente de agora, na Idade Média, a mulher que fosse pega fazendo fofoca, era submetida à humilhação pública. E era o próprio marido quem aplicava a punição. A punição consistia em um tipo de freio de boca, o qual a mulher era obrigada a usar, preso na boca, durante horas.

Freio da fofoca

Brimstone 2017 600x400, Fatos Desconhecidos

Assim como hoje, na Idade Média, as mulheres gostavam de se reunirem para conversar. Naquela época, elas se encontravam para o brunch de domingo, para conversar sobre os acontecimentos da semana. Mas as mulheres não tinham a liberdade em falar sobre qualquer assunto, e a desobediência era tratada com punição corporal. Elas eram obrigadas a usar o freio da fofoca.

O freio da fofoca era semelhante a um cabresto, como os usados em cavalos. Era composto por, tiras de ferro que cercavam uma focinheira de ferro. E essas tiras seriam enroladas no rosto da mulher fofoqueira, como se fosse uma máscara. E para impedir que a mulher falasse um pequeno pedaço de ferro preso à focinheira, ficaria dentro da boca, pressionando a sua língua.

Mas a humilhação não acabava por aí, depois que o marido colocasse o freio da fofoca, ele a levaria para dar uma volta. Seria literalmente, a caminhada da vergonha, sendo que aqueles que passassem pela mulher, poderiam insultá-la ou até cuspir nela. E em alguns casos, para que pudesse chamar mais a atenção das pessoas, o marido colocava um sino preso ao freio da fofoca.

O primeiro relato oficial de uso do freio da fofoca foi, em 1567, e quem o usou foi, Bessie Tailiefeir, por ter dito que Baillie Thomas Hunter, de Edimburgo, mentia sobre as medidas dos terrenos. Agora, se ela estava certa ou não, isso é outra história.

O uso do freio da fofoca foi bem sucedido nos séculos XVI e XVII. Foi usado na Inglaterra, Escócia e País de Gales e na Alemanha. Claro que, a punição era realizada apenas nas classes baixas. Pois, os ricos e os aristocratas podiam falar livremente, sem serem punidos.

Fim do freio da fofoca

17987 2 507x500, Fatos Desconhecidos

Para a religião cristã, seguida na época, a punição corporal era única forma de expiar os pecados, e entender a gravidade dos crimes cometidos contra a igreja. Acreditavam que apenas a dor era capaz de libertar.

E é por isso que, a ideia de punição com o freio da fofoca, não era nova. Inúmeros castigos corporais eram aplicados, eram usados berlindas, açoites, mutilações, e tantos outros métodos de torturas.

Mas, felizmente, a partir do final do século XVI, o uso do freio da fofoca foi se tornando menos popular, até cair no esquecimento. No entanto, as práticas de humilhação pública continuaram, apenas mudando a maneira como eram executadas.

7 coisas que você não sabia sobre Tom e Jerry

Matéria anterior

Ele se tornou aluno da universidade que construiu

Próxima matéria

Você também pode gostar

Mais em Curiosidades

Comentários

Comentários não são permitidos