A nossa alimentação precisa ser balanceada. Precisamos ingerir com frequência uma certa quantidade proteínas, ferro, vitaminas, minerais e várias outras coisas. A falta de algum desses pode nos causar problemas de saúde extremamente sérios. Por outro lado, o exagero também pode resultar em sérios danos ao nosso corpo.

O segredo não está em apenas comer frutas e legumes. Mas sim, em fazer uma dieta equilibrada, com todos os alimentos em quantidades certas. Isso porque o nosso corpo precisa de um pouco de cada alimento para que tenhamos uma vida saudável.

Um dos alimentos mais consumidos no mundo é a carne e poucas pessoas resistem a um bom churrasco. Adoramos uma maminha, idolatramos uma picanha e nos derretemos com um cupim. A gama de cortes, que faz parte do cardápio dos brasileiros e de outros cidadãos, é enorme. Mas com o consumo da forma que fazemos hoje, essa variedade de cortes pode não existir no futuro.

Provavelmente, a maioria das pessoas nunca imaginou a possibilidade de se produzir carne em laboratório. E mesmo que ela seja produzida, isso não quer dizer que essa carne artificial não possa ter o mesmo sabor de um bife suculento. Esse tipo de produção pode ser o futuro da alimentação mundial, nos próximos anos.

Publicidade
continue a leitura

carne , feita a partir de plantas ou células de animais, sem precisar matar nenhum bicho, é uma novidade que tem grande potencial, para mudar completamente a indústria alimentícia.

Até o momento, essas indústrias, que fazem carnes, baseadas em plantas que são cultivadas em laboratório tentam imitar o gosto das procedências comuns da maioria dos carnes. Como por exemplo aves, carne bovina e suína. Mas de acordo com Patrick Brown, CEO da Impossible Foods, isso pode mudar.

Carnes

Publicidade
continue a leitura

O CEO disse, em uma entrevista, que ele vê que existem muitas possibilidades para serem experimentadas. Conforme a técnica de carne à base de plantas vai melhorando, ela dá ao mercado a possibilidade de ter uma variedade de carnes de cortes impossíveis que nunca pensaríamos em comer. Ou até mesmo, tipos novos de carne.

O que Brown sugeriu é que os cortes de carnes que comemos hoje e de quais animais eles vem pode estar baseado no que foi historicamente conveniente. E o que ele sugere é porque não tentar uma coisa diferente.

"Podemos criar coisas que seriam inconfundivelmente carne, sabor e textura, mas diferente de tudo que você já teve nessa categoria. Porque, afinal, as opções de carne que estão disponíveis no mundo hoje são basicamente um artefato histórico das espécies que as pessoas foram capazes de domesticar 10.000 anos atrás", disse.

Publicidade
continue a leitura

"E eles não foram escolhidos porque eram os animais mais deliciosos do mundo. Eles foram escolhidos porque eram capazes de serem domesticados", continuou.

É claro que para isso acontecer, e quando isso acontecer, será num futuro que ainda está distante de nós. Uma das perguntas feitas à Brown durante a entrevista foi quando a Impossible Foods descobriria diferentes tipos de cortes de carne como um lombo de olho. Mas Brown se esquivou dessa pergunta.

"Você não sabe o quão perto você está até chegar lá", concluiu.

Publicado em: 25/03/20 16h28