Notícias

O que a ciência diz sobre a cerveja fazer bem à saúde?

0

Muitos estudos apontam os malefícios da cerveja, mas a ciência também reconhece pontos positivos que resguardam os ingredientes (água, grãos, lúpulo e fermento). Vale destacar que esses benefícios só são desencadeados por hábitos moderados, sem exageros.

De acordo com um estudo publicado na revista The American Journal of the Medical Sciences, a cerveja ajuda na ingestão diária de nutrientes, já que possui vitaminas do complexo B, fósforo, folato e niacina, além de proteínas significativas e fibras. Por isso, a bebida é considerada uma fonte alimentar de silício, um mineral que auxilia na prevenção da osteoporose.

A Associação Europeia para o Estudo da Diabetes (European Association for the Study of Diabetes) aponta que as pessoas que bebem cerveja de três a quatro vezes por semana têm menos probabilidade de desenvolver diabetes do que aquelas que não bebem. Apesar da afirmação ter sido feita após a realização de um estudo de comparação, futuras pesquisas devem esclarecer mais sobre a temática.

Outro estudo que aponta os benefícios da cerveja foi um realizado pela American Heart Association Scientific Sessions. A pesquisa acompanhou 80 mil participantes durante seis anos e descobriu que as pessoas que beberam cerveja moderadamente apresentaram menos risco de doenças cardiovasculares. 

Ainda de acordo com a pesquisa, os homens com esses hábitos moderados de beber cerveja são 42% menos propensos a morrer de doença cardíaca.

Outros benefícios para a saúde

Foto: Shutterstock


A cerveja também conta com potenciais anti-inflamatórios, segundo informações de um estudo publicado na Molecular Nutrition & Food Research. Esses efeitos são por causa do lúpulo, conforme os cientistas, o consumo interfere nos compostos que provocam inflamação.

Os componentes da bebida parecem auxiliar até mesmo a aumentar a expectativa de vida. Isso porque um estudo da University of Texas (EUA) chegou a apontar que as pessoas que bebem cerveja vivem mais do que aquelas que não bebem. Mas destacaram que o excesso de álcool pode afetar negativamente a saúde.

Desde que ingerida com moderação, a bebida tem diversos benefícios. Entre eles, estão impacto positivo nos níveis de colesterol, diminuição do risco de diabetes e fortalecimento do coração.

Confira algumas curiosidades sobre a cerveja

Veja abaixo algumas curiosidades envolvendo a bebida. A explicação foi realizada pelo jornalista e sommelier de cervejas, Luís Celso Júnior.

É tudo igual

Foto: Pixabay

Essa é uma das principais afirmações das pessoas que não gostam de cerveja. Mas a verdade é que atualmente existem mais de 150 estilos diferentes de cerveja, cada um com sua cor, aroma, e próprio sabor.

Uma cerveja é melhor que outra por causa da água 

Foto: Reprodução

Essa afirmação foi verdadeira há muitos anos. No ano de 1842, a Pilsen foi inventada na cidade de Plzen, na República Checa, justamente por causa da água pouco mineral da região, por exemplo. 

Porém, atualmente há uma tecnologia de tratamento tão avançada e acessível que a água pode ser produzida na própria fábrica, “filtrando” ou dosando sais minerais.

Quando o álcool é colocado?

Foto: Reprodução

O álcool não é colocado na cerveja, mas sim produzido na própria bebida através da fermentação. Nesse processo, a levedura, um microrganismo unicelular da família dos fungos, “come” os açúcares no malte e os transforma em álcool.

Cerveja escura é doce (ou mais forte)

Foto: Shutterstock

No Brasil, nos acostumamos às cervejas escuras serem doces por causa da Malzebier – um tipo de cerveja adoçada. Porém, a maneira tradicional de fazer estilos escuros é através de maltes torrados, que trazem um sabor amargo semelhante ao de um café sem açúcar.

Também vale destacar que nem toda cerveja escura é mais forte, no sentido de mais alcoólica. Algumas são bastante leves, como a Guinness.

Os ingleses e alemães bebem cerveja quente?

Foto: Reprodução

Não. Apesar de nós brasileiros gostarmos da nossa cerveja bem geladinha, nem todos os povos e culturas possuem esse mesmo hábito.

Na Inglaterra ou Alemanha normalmente se bebe uma cerveja menos gelada, mas nunca quente. Dependendo do estilo, elas são resfriadas em temperaturas que podem variar de 4ºC a 18ºC.

Fonte: Canaltech, CBN

3 expressões do dia a dia que abrasileiraram a Europa

Matéria anterior

O que é IMC e como calculá-lo?

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos