O que são essas partes brancas na carne de frango?

POR Isabela Ferreira    EM Curiosidades      22/08/17 às 18h55

Você é dessas pessoas que nunca dispensam um bom frango? Esta é uma das carnes mais consumidas e apreciadas do mundo e certamente, uma das que mais fazem bem à nossa saúde. É uma excelente fonte de proteína magra e possui nutrientes vitaminas, aminoácidos e minerais. Pode ajudar a prevenir câncer, sem contar que traz benefícios também para o cérebro e para o coração, sendo uma ótima fonte de energia.

Mas será que você já reparou que os cortes de peito de frango, geralmente vem com uma, ou algumas linhas brancas? Muita gente acaba retirando essa parte da carne com medo de ser algo prejudicial à nossa saúde, mas de acordo com a Oxford Academic, não apresentam riscos da forma que julgamos, e o consumo é realmente seguro, porém, é uma parte que devemos sempre prestar atenção pois pode dizer muito sobre a peça escolhida.

Embora não exista perigo em consumir essa pequena parte do frango, os estudos feitos pela Oxford constataram que quanto mais linhas o peito de frango apresentar, maior será sua taxa de gordura, indicando que as galinhas foram forçadas a se desenvolver rapidamente.

Uma vantagem que possuímos em relação a isso, é que testes realizados em mais de  3,7 mil aves que seriam destinadas para o consumo, mostraram que o Brasil não utiliza hormônios para a criação de frangos no país, de acordo com o que foi recentemente divulgado pelo Diário Oficial da União pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o que consequentemente, pode fazer com que os frangos aqui produzidos não apresentem tanta gordura.

Mas para entender melhor, repare bem a imagem acima. A figura "A" apresenta um peito de frango normal, provavelmente na forma que mais costumamos encontrar, enquanto o retratado na figura "B" apresenta uma quantidade maior de linhas, podendo ser considerado como fora do normal. Já na figura "C", o corte do peito de frango apresenta uma quantidade exagerada de linhas, indicando que a taxa de gordura da peça é muito superior à das outras. Apenas para que você tenha uma ideia, a peça mostrada em "C", ao ser submetida a análises de laboratório, mostrou ter 224% a mais de gordura em relação a "A", sem contar que a carne era mais dura.

O relatório feito pela Oxford constatou ainda que as galinhas tiveram um aumento de 400% em sua taxa de crescimento desde o ano de 1957. Esse aumento exagerado detectado mundo afora, pode ser explicado pela criação seletiva que acontece dentro das indústrias e também pela introdução de hormônios na alimentação das aves.

Quando os criadores desses frangos colocam hormônios nos alimentos, eles costumam crescer de uma forma muito rápida, o que acaba causando disfunções musculares. A carne não fica imprópria para o consumo, mas não podemos negar que sempre é importante saber como os animais são tratados e criados para que possamos consumir. Por mais que nosso país não tenha o costume de utilizar hormônios, ainda assim é crucial ficar de olho, até mesmo para evitar o consumo exagerado de gordura.

E então pessoal, o que acharam? Já sabiam dessa curiosidade? Compartilhem suas ideias aí com a gente pelos comentários!

Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+