Mundo Animal

Veterinário segue gata e descobre que ela levou aos filhotes a comida que ele tinha dado

0

O médico veterinário Raphael Sousa se surpreendeu quando uma gata chegou em um clube de Goiânia pedindo comida, mas ela não comeu de imediato o alimento dado. Após isso, ele decidiu seguir o animal.

“Eu dei uma salsicha porque era o que eu tinha, mas reparei que ela não comeu e fui acompanhar. Percebi que ela chamou os dois filhotinhos dela”, disse Raphael ao G1.

O vídeo foi gravado no começo do mês de junho e logo repercutiu no Instagram. A publicação ultrapassa 390 mil curtidas, 3,2 milhões de visualizações e pegou de surpresa o médico veterinário.

“O vídeo viralizou bem rápido, de uma forma despretensiosa, porque as pessoas viram o instinto materno da gatinha. Foi algo bem afetivo”, disse Raphael.

Novo lar

Foto: Arquivo Pessoal/ Raphael Sousa


Além da salsicha, a gata e o casal de filhotes ganharão um lar. Em entrevista para o G1, Raphael contou que adotou a mãe da ninhada, a castrou, e já tem uma fila de pessoas interessadas em adotar os pequenos.

“Ela ficava lá no clube, era de rua e ninguém conseguia pegar. Pedi autorização, a minha equipe voltou e depois de três tentativas deu certo. Castramos a mãe e vamos colocar os filhotes para adoção”, disse o profissional.

Nos comentários do vídeo, várias pessoas contaram episódios similares ao vivido pele veterinário.

“E eu que alimentei uma gatinha em um restaurante na estrada, ela levou tudo para seus filhotes e eu trouxe para casa, ela e eles”, disse uma mulher. 

Porém, Raphael afirmou que algumas pessoas o criticaram por dar salsicha para gata.

“Muita gente disse que fui errado em dar a salsicha, mas era o que tinha. Eu nem postei que peguei e castrei. Achei bacana a repercussão, muita gente se interessa pelo pet. Tiveram alguns haters, mas é normal, eu sei que a nossa parte a gente fez e ela vai ter uma qualidade de vida muito boa”, disse Raphael.

Mulher internada há um mês recebe visita da gata de estimação 

Paciente com gata de estimação

Foto: HSA/ Divulgação

Outra gata chamou a atenção da internet nos últimos dias. Isso porque uma paciente internada há mais de 30 dias no Hospital Santo Antônio, em Blumenau (Santa Catarina), pôde passar um tempo com a felina que não via desde o início da internação.

A ação especial aconteceu depois do atendimento interprofissional realizado pela psicóloga hospitalar Luana Schramm. Elisabeth, de 42 anos, disse à profissional que sentia muita falta da gata devido ao grande período que já estava longe de casa. “Sinto muita saudade, ela sempre esteve perto de mim todos os dias”, apontou a paciente.

Depois de serem atendidos todos os protocolos de saúde, de acordo com o que aponta o Serviço de Controle de Infecção Relacionada a Assistência à Saúde (SCIRAS), os profissionais do HSA, juntamente com a família, conseguiram levar a gata Mia até o hospital para ver a dona.

“Pela manhã soubemos que ela iria passar por uma nova cirurgia, obviamente ficamos muito tristes, mas sabíamos que no final do dia ela teria uma surpresa”, disse o marido de Elisabeth.

Objetivo da visita

Foto: HSA/ Divulgação

“O objetivo da visita foi proporcionar uma experiência humanizada e minimizar o sofrimento psíquico e sintomas ansiosos que o processo de adoecimento, incertezas e longa internação pode causar”, afirmou a psicóloga, conforme o repercutido pelo portal O Munícipio.

A profissional afirmou que a visita da gata foi baseada em estudos que apontam que o contato com animais de estimação libera neurotransmissores hormonais responsáveis pelas sensações de prazer e bem-estar. Além disso, o contato ajuda na diminuição do neurotransmissor hormonal do estresse. 

“Dessa forma, a visita age como um estímulo positivo para uma sensação de ânimo, tornando-se um impulso para continuar o seu processo de hospitalização e tratamento.”

Fonte: G1, O Município

Por que está acontecendo tantos ataques de elefantes?

Matéria anterior

Luva de Pedreiro afirma que ex-empresário colocou pessoa para vigiá-lo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos