Vídeo mostra avó que ficou cega por 15 anos voltando a enxergar seus netos
Tempo de leitura:2 Minutos, 18 Segundos

Vídeo mostra avó que ficou cega por 15 anos voltando a enxergar seus netos

A maioria dos seres humanos possui cinco sentidos, que ajudam a perceber o mundo ao seu redor. A ciência já estudou novos sentidos que podem mostrar que temos até mais que os consagrados tato, paladar, olfato, audição e visão. Dentre os cinco, a visão certamente é um dos mais utilizados e determinantes na nossa percepção das coisas.

Os olhos compõem um dos órgãos mais importantes dos seres vivos. São eles que nos proporcionam o vislumbre de tudo aquilo que nos cerca. Embora seja claramente possível viver sem enxergar, é algo que necessita de uma grande adaptação. Pois é preciso que os outros sentidos fiquem muito mais apurados.

Existem as pessoas que já nascem sem esse sentido e outras que o perdem ao longo da vida. No caso dessa mulher, ela deixou de enxergar por mais de uma década por conta de um diagnóstico errado.

Caso

Felizmente, a americana Connie, de 59 anos, conseguiu um final feliz para a sua história. Ela recuperou sua visão e conseguiu ver seus netos pela primeira vez.

A mulher começou a perder a visão em 2003. Ela foi se consultar com um médico que a diagnosticou com glaucoma inoperável. Então, aos poucos, Connie passou  enxergar cada vez menos. No entanto, ela nunca deixou de fazer as atividades que gostava, como por exemplo, praticar esportes.

“Eu passei a viver a vida ao máximo que eu conseguia. Eu não sabia usar uma bengala direito e acabava dando de cara em árvores“, contou ela em entrevista.

Foi em 2008, que outro médico percebeu que o caso de Connie não era de glaucoma inoperável. A mulher tinha, na verdade, uma catarata. Essa condição faz com que a transparência do cristalino, uma espécie de lente natural dos olhos, seja perdida. Mas ela pode ser operada facilmente.

Recuperando sentido

Com o novo diagnóstico, Connie conseguiu ter uma das maiores alegrias da sua vida. Que foi ver os seus netos mais novos e conseguir rever sua neta mais velha, que ela tinha visto pela última vez há três anos. “Ela não se parece mais com quem ela era aos três anos”, brincou Connie.

Da mesma forma que Connie não deixou de fazer as coisas que gostava quando estava perdendo a visão e aproveitando tudo ao máximo, depois de recuperar a visão ela continuou admirando todas as situações, por menores que fossem, do dia-a-dia.

“As pessoas acham que é entediante observar grama crescer, mas quando você passa anos sem ver um punhado de grama, você vai amar ver a grama crescer”, disse ela.

Além dos netos, Connie reviu todos seus familiares e seu marido. A respeito dele ela disse: “continua sendo o homem mais lindo do mundo e eu sou completamente apaixonada por ele”.