Há 50 anos atrás, a cantora Janis Joplin veio ao Brasil e podemos dizer que muitas coisas bizarras aconteceram nessa viagem. Contudo, separamos 7 coisas bizarras que aconteceram nessa viagem de Janis Joplin no Brasil.

Por mais que lembremos da viagem como algo marcante, o ano de 1970 não estava indo bem para Janis. Depois da repercussão fraca de seu primeiro álbum solo “I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!”, a cantora estava sem rumo. Além disso, sofria com uso cada vez mais frequente de heroína e sua "clínica de reabilitação" foi um lugar inesperado: o Brasil.

1 - Expulsa de hotéis

Primeiro, Janis Joplin foi expulsa por supostamente nadar pelada no Copacabana Palace. Depois disso, o fotógrafo da revista Rolling Stone, Ricky Ferreira, foi quem encontrou a cantora. Em seguida, ofereceu abrigo. Afinal, era carnaval e todos os hotéis estavam lotados.

2 - Entrevistas sob o efeito de álcool

Publicidade
continue a leitura

Em pouco tempo, a notícia da estadia de Janis no Rio já havia se espalhado. Em suas entrevistas, ela sempre estava de copo na mão e meio alterada. "Era alegria de bêbado. Na época, no Brasil, não tinha heroína", relembra Nelson Motta, jornalista da época. Depois do Rio, a cantora partiu para Salvador, onde ficou na casa do artista plástico Lula Martins.

3 - Queimaduras na praia

Janis aproveitou os últimos dias no Rio visitando o mirante da Estrada do Joá e a Praia da Macumba. Lá, ela chamou a atenção da polícia ao tomar sol de topless. Em seguida, levou uma dura, mas logo voltou às areias. Bêbada, dormiu ali mesmo sob o sol escaldante do Rio. Depois disso, saiu vermelha e com bolhas nas costas. Mas as queimaduras não a impediram de curtir a folia.

4 - Histórias que viraram filme

Publicidade
continue a leitura

As histórias e depoimentos dos cinco dias de fevereiro de 1970 podem ser encontrados no documentário "Summertime na Bahia", de Henrique Dantas. No entanto, por conta de direitos autorais, o longa ainda não pôde ganhar uma versão final e ser exibido. De todo modo, a ideia é retomar o projeto do documentário no futuro. Além disso, agora, o diretor, Dantas, faz parte de um núcleo criativo que prepara um longa de ficção sobre as aventuras da cantora em terras baianas.

5 - Uma desconhecida no meio da multidão

Enquanto que no Rio, ela chamou a atenção, na Bahia, Janis era uma total desconhecida. Dessa forma, a grande mídia não sabia da presença da cantora. "Andávamos por toda a Salvador, sem que as pessoas percebessem a roqueira. Éramos vistos como uma turma de hippies", explica o artista plástico, Lula Martins.

Publicidade
continue a leitura

6 - Janis Joplin no karaokê

Em um dos passeios, a turma de amigos foi até a casa do artista plástico, Gilson Rodrigues. Depois disso, partiram para a boate Anjo Azul, onde Janis ouviu um som de guitarra. E claro, decidiu seguir o som. Lá, na Ladeira da Montanha, uma banda contratada por marinheiros americanos, animava a casa. Em um intervalo do show, o guitarrista ficou só no palco e começou a tocar os acordes de Summertime, de Joplin. Muito bêbada, Janis subiu no palco e cantou a música. Em seguida, a banda retornou e a acompanhou em mais duas músicas, levando a turma às lágrimas.

7 - Viagem de LSD

Na última noite de Janis Joplin no Brasil, ela e seu grupo curtiram uma 'viagem' de LSD, na praia da casa de Martins. Com direito à trilha sonora do disco I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!, da própria cantora. Depois disso, Janis afirmou, em uma entrevista, que sua visita ao Brasil foi "muito doida".

Publicado em: 26/02/20 16h14