Apesar da súbita pandemia de coronavírus ter atrapalhado os planos de Kevin Feige e colocado algumas produções da Casa das Ideias na geladeira, o Universo Cinematográfico Marvel permanece sendo uma das franquias mais bem consolidadas e organizadas da cultura pop. Ao passo que hoje o MCU é uma referência para todo o mainstream, é difícil imaginá-lo de outra forma. Pois bem, se esse universo segue rumo à sua quarta fase, é porque todas as decisões tomadas até aqui foram bem ponderadas. No entanto, você já se perguntou como teria sido se uma ou outra deliberação por parte do estúdio tivesse sido diferente? Bom, nós pensamos nisso. Portanto, resolvemos apresentar algumas decisões que poderiam ter mudado o MCU para sempre.

7 - E se as séries da Netflix fossem canônicas?

Embora não adiante mais chorar sobre as séries canceladas, é sempre bom lembrar que a Marvel desperdiçou muito potencial aqui. Okay, Luke Cage e Punho de Ferro não eram lá essas coisas e isso acabou prejudicando Os Defensores. No entanto, Demolidor e Jessica Jones conseguiram fazer bastante sucesso com o público. Inclusive, quando começaram a circular rumores de que Charlie Cox poderia ser introduzido no terceiro filme do Homem-Aranha, os fãs foram à loucura. Infelizmente aquilo que poderia ter sido o pontapé inicial para a Casa das Ideias unir seus universo da TV e do cinema, acabou sendo jogado fora. Agora só nos resta esperar a nova onda de séries do MCU e torcer pro Disney+ acertar. Além disso, há quem acredite que, futuramente, os interpretes dos Defensores possam retornar aos seus respectivos papeis.

6 - E se Robert Downey Jr. tivesse saído após Homem de Ferro 3?

Publicidade
continue a leitura

A maior parte dos eventos que marcaram a Saga do Infinito está ligada à Tony Stark. Visto que Homem de Ferro foi o filme responsável por inaugurar o MCU, isso não é de se estranhar. No entanto, aquele "Eu sou o Homem de Ferro" dito antes do estalar de dedos responsável por aniquilar Thanos e seu exército quase foi comprometido. Acontece que, Robert Downey Jr., o ator responsável por dar vida ao personagem, cumpriu seu contrato com o estúdio após seu terceiro filme solo. Sendo assim, ele poderia ter abandonado a franquia. Todavia, os números acabaram falando mais alto e RDJ resolveu prolongar sua estadia no MCU. De qualquer forma, a impressão de que Stark estava aposentando o manto de herói em Homem de Ferro 3 realmente foi proposital. Essa foi por pouco, hein?

5 - E se a Marvel não tivesse sido comprada pela Disney?

Bom, é de conhecimento geral que a Disney só produz filmes de grande porte. Logo, ao adquirir a Marvel Studios, a Casa do Rato passou a investir pesado nas produções de super-heróis que, posteriormente, viriam a ser criticadas por cineastas como Martin Scorsese. Pois bem, ao passo que esse investimento proporcionou efeitos visuais incomparáveis e contratações de alto escalão, também há alguns ônus. Por exemplo, ao contrário do que vimos recentemente em Coringa e Aves de Rapina, a Casa das Ideias não pode se dar à liberdade de investir em filmes experimentais de baixo orçamento. Como resultado disso o estúdio vive tendo problemas criativos com seus diretores que têm de se limitar à fórmula estabelecida pelos executivos e que rende altas bilheterias, apesar de ser mais do mesmo.

4 - E se Joss Whedon não tivesse abandonado o MCU?

Publicidade
continue a leitura

Falando em liberdade criativa, citemos Joss Whedon. Após o sucesso de Vingadores em 2012, o diretor se tornou o garoto de ouro da Marvel. Isso acabou resultando em um contrato exclusivo de três anos com o estúdio. Além disso, o cineasta também acabou adquirindo uma enorme influência criativa sobre a Fase 2 do MCU. Só para ilustrar, Whedon foi responsável por aperfeiçoar parte dos diálogos em Thor: O Mundo Sombrio; dirigir cenas em Capitão América: O Soldado Invernal; e encorajar James Gunn a explorar o máximo de bizarrice possível no roteiro de Guardiões da Galáxia. Em suma, Whedon conquistou um nível de influência que nenhum outro diretor teve no MCU. Contudo, após Era de Ultron o diretor se afastou de estúdio e acabou migrando para a concorrência. Uma pena para os dcnautas.

3 - E se Chris Evans tivesse dispensado o papel de Capitão América pela terceira vez?

Assim como já dissemos por aqui, Chris Evans tem certa experiência com filmes de super-heróis. Surpreendentemente, apesar de ter se consolidado na cultura pop como Capitão América, o ator recusou o papel algumas vezes. O maior receio de Evans era o contrato extenso e como ele poderia limitar seus futuros trabalhos. No entanto, eventualmente, o astro acabou cedendo e o mundo nerd saiu ganhando. Contudo, se Evans não tivesse mudado de ideia, outra pessoa teria assumido o manto. Só para ilustrar, Ryan Phillippe, John Krasinski, Sam Worthington, Garrett Hedlund, Chad Michael Murray, Jensen Ackles, Alexander Skarsgard, Kellan Lutz e Channing Tatum estavam entre os possíveis cotados para viver o Primeiro Vingador.

2 - E se Edward Norton tivesse cumprido seu contrato?

Publicidade
continue a leitura

Uma curiosidade a respeito de Edward Norton é que o ator gosta de se envolver no processo criativo dos filmes nos quais trabalha. Só para ilustrar, podemos citar A Outra História Americana e Dragão Vermelho. No entanto, quando chegou sua hora de estrelar O Incrível Hulk, as coisas não deram muito certo. Insatisfeito com o corte final do longa e com a recusa de suas contribuições para o roteiro, Norton se recusou a participar da promoção do filme. Como resultado disso, O Incrível Hulk foi completamente ignorado pelo MCU. No entanto, Norton havia sido contratado para uma sequência. A mesma teria rodado acontecido tranquilamente se não fosse o desentendimento do ator com a produção. Então, a Marvel Studio decidiu contratar Mark Ruffalo para viver o Gigante Esmeralda já que, em hipótese alguma, o estúdio de Kevin Feige conseguiria trabalhar pacificamente com Norton.

1 - E se Homem de Ferro não tivesse dado certo?

Chegamos a citar acima que Homem de Ferro foi o pontapé inicial para a consolidação do MCU. No entanto, isso só aconteceu porque a recepção do longa estrelado por RDJ foi positiva. Até então, esse era um tiro no escuro por parte do estúdio e, se não tivesse dado certo, não estaríamos assistindo Vingadores: Ultimato nessa quarentena. Além de um ator que ainda estava se reabilitando, pessoal e publicamente, o longa contava a história de um personagem pouco familiar ao público. Sendo assim, tudo certo pra dar errado. Felizmente a Marvel conseguiu acertar e consolidar uma das maiores franquias já vistas no cinema.

Publicado em: 06/07/20 16h29