Curiosidades

A ciência explica o porquê dos pais esquecerem os filhos no carro

0

Pode ser considerado comum o número de notícias sobre pais que esquecem os filhos no carro, muito se pergunta o porquê desse problema acontecer. Por isso, os cientistas tentaram explicar a ação de forma racional.

De acordo com especialista, na maioria dos casos, os pais não esquecem os filhos no carro por negligência. O psicólogo e neurocientista David Diamond, da Universidade do Sul da Flórida, nos Estados Unidos, dedicou anos de estudo para entrevistar 50 famílias que viveram o trauma. Com isso, foi possível notar um padrão de comportamento.

“Todos os pais relatam ter sofrido de um lapso de memória. E quase todos eles esqueceram seus filhos no carro após mudarem sua rotina, seja porque decidiram fazer um trajeto diferente ou porque tiveram que levar os bebês para a creche mais cedo”, contou Diamond à BBC News Brasil.

O especialista acrescentou que isso pode acontecer quando fazemos algo que não seja habitual. “Não são só os pais que passam por essa situação: há registros de pilotos de avião que, por estarem tão acostumados a conduzir o mesmo modelo de aeronave, se envolvem em acidentes quando são designados a pilotar outro tipo”, relatou.

A explicação científica

Trânsito Web

De acordo com a pesquisa de Diamond, os gânglios basais são o primeiro mecanismo utilizado no processo de armazenar e ativar a memória. Ela opera em um nível subconsciente, permitindo que habilidades e informações já armazenadas sejam usadas sem precisar pensar muito sobre elas.

“Os gânglios basais são nosso piloto automático: nos permitem, por exemplo, dirigir sem pensar sobre os movimentos nos pedais ou no caminho exato para o trabalho”, explica o neurocientista.

Também utilizamos o hipocampo e o córtex frontal, responsáveis por processar e guardar novas informações. Diamond informa que esse sistema é diferente e independente do citado anteriormente. Isso porque o hipocampo precisa ser ativado conscientemente para que os dados armazenados façam parte do nosso pensamento. Isso pode ser feito por meio de um bilhete escrito ou aviso externo.

Por isso, quando os pais saem da rotina, esquecem o filho no carro, pois não se lembram que ele está lá. Isso pode acontecer principalmente nos primeiros meses de vida do bebê, devido à privação do sono e estresse dos pais. Diamond ainda explica que em situação de cansaço e nervoso, o hipocampo é prejudicado, porém, os gânglios basais funcionam normalmente.

Os casos de crianças esquecidas no carro

Icetran

Nos Estados Unidos, os episódios de bebês esquecidos em carros se tornaram comuns. Eles são chamados por cientistas e autoridades como síndrome do bebê esquecido.

No Brasil, dados levantados por uma pesquisadora da Universidade Federal de Juiz de Fora identificou 59 casos de crianças deixadas sem supervisão no carro entre 2006 e 2018. Em 80% dos casos, elas foram esquecidas, enquanto 17% foi de crianças que entraram em veículos sozinhas e ficaram presas.

Em agosto de 2021, o Brasil todo noticiou o caso de um menino de 2 anos esquecido no carro por uma cuidadora em Bauru, no interior de São Paulo. Arthur Oliveira dos Santos morreu após ficar três horas no veículo em um dia em que os termômetros marcavam mais de 35°C.

De acordo com a ONG NoHeatstroke, na maioria dos casos de crianças que morrem esquecidas no carro fechado, a causa é a insolação. Isso porque quando a temperatura corporal passa dos 41°C, as células são danificadas e os órgãos internos começam a parar.

De acordo com o advogado, Carlos Nicodemos, quando uma autoridade policial é chamada para socorrer crianças esquecidas em carros, o conselho tutelar é acionado, mesmo que seja um esquecimento não intencional.

“Se aplica uma medida protetiva, e os pais são encaminhados para acompanhamento familiar e programa assistencial”, explica o advogado. No entanto, ele acrescenta que “quando há negligência repetitiva, o caso passa a ser classificado como abandono de incapaz e entra na esfera penal.”

Nesse caso, eles podem ser condenados a lemas de prisão ou alternativas, e ainda podem perder a guarda da criança.

Formas de evitar

Doutor Multas

De acordo com Erika Tonelli, coordenadora do Instituto Bem Cuidar e da organização Aldeias Infantis SOS, é importante que os pais saibam que isso pode acontecer com qualquer um. Por isso, deve-se checar pelo menos duas vezes se a criança ainda está no carro antes de fechar a porta.

Além disso, pode ser mantido algum objeto que ajude a lembrar que a criança esteja perto, como uma chupeta e fralda de pano.

Uma recomendação para que casos assim não aconteçam é que os pais estejam cientes de que isso pode ocorrer com qualquer um. Assim, colocar a bolsa de pertences pessoais no banco de trás, ao lado da cadeirinha do bebê, pode ajudar a evitar tal acontecimento.

Outras formas são aplicativos, como Waze, que possui a função ‘Lembrete de Criança’, e os aplicativos próprios, como o Kars 4 Kids e o BabyOnBoard. Eles são conectados ao GPS do celular e possuem alertas sonoros quando o motorista estaciona o carro.

Além disso, modelos recentes de cadeirinha possuem sensores que alertam o motorista, através do celular e avisos sonoros, de que a criança ainda está no assento.

Fonte: BBC

Veja como é morar nos apartamentos de Hong Kong conhecidos como “formigueiros”

Matéria anterior

Hipopótamos podem ficar mais agressivos quando escutam vozes desconhecidas

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos