Notícias

Orangotango quase arranca perna de jovem que passou da proteção

0

Essa notícia serve de recado para as pessoas que não respeitam as regras de um zoológico. Na Indonésia, um rapaz de 19 anos se aproximou demais de uma jaula para filmar um orangotango-fêmea e sentiu a ira do animal.

Na segunda-feira (6), o primata agarrou sua perna na intenção de arrancar a perna do jovem Hasan Arifin. Por sorte, um amigo estava por perto e lhe ajudou a se livrar do bicho. Segundo o zoológico, o visitante pulou a cerca de proteção que mantém uma distância segura com o orangotango.

Fonte: Reprodução / Youtube

Chega mais perto, humano…

A princípio, vale lembrar que o parque Kasang Kulim, na cidade de Pekanbaru, possui barreiras de proteção. No entanto, esses limites não são obstáculos impossíveis de se transpor. Cabe ao visitante ter a consciência de respeitar as marcações a fim que curtir o passeio em segurança.

Nesse sentido, Hasan Arifin não teve essa prudência, e deixou a produção de conteúdo falar mais alto. Em mente, ele tinha a intenção de gravar um vídeo na frente da jaula de Tina, orangotango conhecido por ser muito calma e gentil. Mas é aquela história: paciência tem limite.

Enquanto o jovem estende as mãos para o primata pegar, Tina faz diferente. Ela agarra a camiseta do jovem e lhe puxa para mais perto dela. Sendo assim, o jovem fica pressionado contra a jaula e não consegue combater a força do animal.

Em seguida, o orangotango agarra a perna de Hasan Arifin, momento em que a situação fica mais séria. Caso Tina conseguisse atingir o seu objetivo, o rapaz iria perder a sua perna, tudo filmado pela câmera do próprio Hasan.

Todavia, um amigo do jovem estava por perto e começa a chutar o braço do orangotango. Aos poucos, o animal vai perdendo sua força, chegando ao ponto de tentar morder o pé do rapaz em um último esforço. Por fim, Hasan Arifin conseguiu se libertar das mãos de Tina.

De acordo com o zoológico que hospedou essa cena, o motivo do ocorrido se deve ao fato de que o visitante “pulou o guarda-corpo do recinto dos orangotangos para gravar um vídeo sem a permissão do tratador”.

Registrar ou preservar a vida? Eis a questão!

Em uma situação um pouco diferente dessa com o orangotango, o fotógrafo francês Christophe Courteau também sentiu a fúria de um primata low profile. Em expedição ao Parque Nacional dos Vulcões, em Ruanda, ele levou um soco do líder do grupo de símios Kwitonda. A motivação do ato foi a recusa em abaixar a câmera que fotografava os animais.

No ano de 2015, junto com um grupo de turistas, ele se dirigiu a Ruanda na missão de fotografar gorilas. Nesse sentido, a foto perfeita estava favorável para sair, pois os primatas que encontraram tinham acabado de comer hastes de bambu.

Logo, eles estariam “bêbados”, já que essa planta gera intoxicação no organismos destes animais. A prova disso é que o bando que Christopher encontrou estava no meio de uma orgia, tendo o acréscimo do fato do líder do grupo ter se sentido ameaçado por um macho rival.

Fonte: Christophe Courteau / Reprodução

Ou seja, havia um clímax na cena que o francês não queria perder por nada nesse mundo. No entanto, digamos que ele se aproximou demais para fazer o clique, o que incomodou o gorila Akarevuro. Dessa forma, o primata resolveu reagir, começando a correr atrás do fotógrafo.

Como o profissional estava de joelhos para bater as fotos, ele demorou demais para começar a correr. Portanto, o gorila lhe alcançou com extrema facilidade e lhe desferiu um soco. “Em menos de um segundo, ele estava em cima de mim e me acertou fortemente como um jogador de rugby. Um gorila de costas prateadas como ele pesa cerca de 250 kg, então imagine um jogador de rugby de 250 kg correndo direto para você.”

Por sorte, o francês clicou a foto no exato momento em que Akarevuro estava bem na sua frente com o punho fechado. Como resultado disso, hoje temos um registro de um gorila que parece estar no meio de uma briga de bar.

Fonte: Christophe Courteau

Fonte: R7.

Conheça a cidade da Espanha, onde a água “desafia” a gravidade

Matéria anterior

Caverna espanhola guarda artes de mais de 58 mil anos

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos