Entretenimento

Por que algumas pessoas tem fobia de dentista?

0

O medo de dentista é mais comum do que parece. A odontofobia acomete tanto adultos quanto crianças e, com isso, a saúde bucal pode ficar comprometida. Normalmente, essa aversão ocorre devido a experiências desagradáveis no passado. Mas, apesar disso, o paciente que nunca foi ao dentista ainda pode sentir medo em relação à dor e ao desconforto causado pelos tratamentos.

Crianças estão propensas a desenvolver o medo, em grande parte, porque os pais dizem coisas ruins do dentista para convencê-las a escovar os dentes. Esse comportamento gera traumas que são carregados para a vida adulta. Em outros casos, o paciente sente vergonha de expor seus dentes para o dentista por eles estarem muito deteriorados.

É importante frisar que pessoas com odontofobia não apresentam apenas sintomas de ansiedade. Trata-se de um medo muito mais intenso e quase incontrolável, levando as pessoas ao terror e ao pânico. Para o paciente que tem fobia de dentista, qualquer objeto ou situação alusiva à odontologia, mesmo a representação mental dela, provoca reações como suor frio, sensação de enjoo ou desmaio, taquicardia, respiração rápida ou contrações musculares.

Essa fobia afeta cerca de 10% da população mundial e, em muitos casos, é possível que o profissional perceba que está lidando com um paciente que apresenta esse medo. Isso se dá por conta dos sintomas citados acima e, com isso, o dentista pode encontrar formas de passar segurança ao paciente e tentar tranquilizá-lo durante a consulta.

iStock

Para além disso, existem pessoas que têm medo de sangue, agulhas e outros instrumentos médicos. Esses casos não representam a fobia direta ao dentista, mas como esses profissionais fazem uso de materiais como seringas e bisturis, o medo acaba envolvendo também a ida ao dentista.

Prejuízos à saúde bucal

Para uma saúde de qualidade dos dentes e da boca, são necessários cuidados regulares. O paciente deve praticar a escovação correta e, claro, visitar periodicamente o dentista. No entanto, é normal que aqueles que sofrem de odontofobia evitem ao máximo a ida ao dentista.

Caso haja algum problema bucal, o atraso da ida ao consultório pode agravar a condição e transformá-la em uma situação pior para aquele que tem medo da consulta com o dentista. Isso porque, caso o problema avance, algumas medidas mais severas podem ser necessárias, como os implantes dentários ou até mesmo a extração dos dentes.

Como melhorar o medo?

O primeiro passo para superar o medo do dentista é uma boa relação entre paciente e profissional. A confiança entre ambas as partes é essencial para superar o problema. Dessa forma, é importante buscar um profissional que atenda ao que se procura e que faça o serviço da melhor forma possível, evitando o máximo de desconforto ao paciente e, claro, passando segurança ao ele.

Mas em situações nas quais isso não é o suficiente, é preciso que o paciente busque ajuda. No caso das crianças, é ideal que elas sejam levadas ao dentista desde os primeiros anos de vida. Dessa forma, elas criam um vínculo com o profissional e não desenvolvem essa aversão ao dentista. Também não é recomendado que os pais falem do dentista como uma figura ruim e que vai causar dor a elas.

Alguns psicólogos desenvolvem técnicas de relaxamento com os pacientes para que eles possam enfrentar e superar os medos. Essa é uma boa tática para a melhora da fobia. Além disso, psicólogos podem encontrar a causa do medo e tratá-la pela raiz.

Em relação à prática dos dentistas, é possível que medidas também sejam tomadas para amenizar o medo apresentado pelo paciente. A sala de espera pode ser pensada de modo a passar uma sensação tranquilizante e acolhedora. A atuação dos profissionais que o paciente vai encontrar já na entrada do consultório também pode ser crucial. Pessoas bem preparadas podem contribuir para que o medo da entrada na sala do dentista não seja tão severo.

No entanto, as atitudes diretas do dentista são essenciais nesse propósito. Receber o paciente com uma conversa inicial e optar por expor os aparelhos e instrumentos odontológicos apenas quando o procedimento for de fato ter início pode ajudar bastante. Dessa forma, é possível que a pessoa que apresenta fobia se sinta mais acolhida e se distraia com a conversa do profissional.

Isso é o que você deve saber sobre alimentos de ”calorias negativas”

Artigo anterior

Fotos anuais que o Hubble tirou dos gigantes do sistema solar

Próximo artigo