Entretenimento

Por que as calorias não são criadas iguais?

0

Do ponto de vista termodinâmico, uma caloria é uma caloria. As calorias são definidas como a quantidade de energia que é preciso para aumentar a temperatura de um quilograma de água em um grau Celsius. No entanto, quando as calorias estão relacionadas com a saúde e o equilíbrio do corpo, nem todas elas são iguais.

Por exemplo, alguns estudos mostram que dietas com um teor alto de proteína, baixo teor de carboidratos ou então uma combinação dos dois, resultam em uma maior perda de peso do que as dietas com outros níveis de gordura, proteína e carboidratos.

Nesse ínterim, se todas as calorias dos alimentos fossem iguais, não se esperaria ver diferenças na perda de peso entre as pessoas que comem o mesmo número de calorias.

Calorias

Parede

Os pesquisadores sabem que existem muitos fatores que influenciam o que uma caloria significa no corpo. E é isso que eles sabem a respeito de calorias e nutrição até o momento.

No fim dos anos 1880, o químico WO Atwater e sua equipe desenvolveram um sistema para descobrir quanta energia, ou seja, quantas calorias, vários alimentos contêm. Para fazer isso, ele queimou amostras de alimentos e registrou quanta energia eles liberavam na forma de calor.

Entretanto, não é toda energia dos alimentos que pode entrar em combustão. Então, o que os cientistas chamam de energia metabolizável é a diferença entre a energia total do alimento consumido e a energia que sai do corpo. Ou seja, não digerida, nas fezes e na urina.

Então, Atwater planejou uma porcentagem de calorias que cada um dos três macronutrientes, proteínas, carboidratos e gorduras, tinham e que eram realmente metabolizáveis.

Como resultado desse esquema, estimou-se que um grama de cada macronutriente forneça um certo número de calorias. Ademais, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos usa ainda hoje esses cálculos para chegar a um número oficial de calorias para cada alimento.

Energia

Science Alert

Os cientistas dizem que o que cada pessoa come pode afetar o que eles chamam de gasto de energia do corpo. Isso é a quantidade de energia necessária para manter a pessoa viva. É a energia que se usa para respirar, digerir, manter o sangue fluindo e outras coisas. Também se conhece isso como metabolismo.

Além disso, a qualidade da dieta pode mudar o gasto de energia do corpo, que também se conhece como efeito térmico dos alimentos. Foi o que mostrou um estudo em que as pessoas comeram o mesmo número de calorias por dia, mas com dietas diferentes. Uma era pobre em carboidratos e a outra pobre em gorduras.

Como resultado, as pessoas tiveram diferenças no gasto calórico total de aproximadamente 300 calorias por dia. As pessoas que comeram dietas com um baixo teor de carboidratos usaram mais energia. Já as que tiveram uma dieta com baixo teor de gordura usaram menos.

Qualidade das calorias

Antranik

Para os nutricionistas, é necessário prestar atenção no índice glicêmico e na carga glicêmica do alimento. Em outras palavras, a rapidez e o quanto ele aumentará os níveis de glicose no sangue. Nesse sentido, o aumento da glicose no sangue desencadeia a liberação de insulina. Ela, por sua vez, influencia o metabolismo energético e o armazenamento do excesso de energia na forma de gordura.

Outro ponto a se considerar é o conteúdo de fibra dos alimentos. Isso porque o corpo não consegue digerir fibras que são encontradas em alimentos, como por exemplo, frutas, vegetais, grãos inteiros e feijões. Portanto, eles tendem a ter menos energia metabolizável, o que pode ajudar as pessoas a se sentirem satisfeitas com menos calorias.

Saúde

The Conversation

Mesmo que o peso tenha um papel na saúde e na longevidade das pessoas, a perda de peso por si só não é um sinônimo de saúde. Embora algumas dietas ricas em proteínas deem uma perda de peso a curto prazo, os epidemiologistas mostram que em lugares onde as pessoas vivem mais, em média 100 anos, a dieta é outra. Nesses lugares, as pessoas têm uma dieta baseada em vegetais e com pouca ou nenhuma proteína animal, além de uma gordura baixa ou moderada na forma de mono e poliinsaturada.

Desse modo, a dieta mais saudável para a longevidade e prevenir doenças, conhecida pelos pesquisadores, é aquela baseada em vegetais e rica em proteínas vegetais e carboidratos.

Hoje em dia os pesquisadores sabem que as calorias de alimentos diferentes têm efeitos diversos na saciedade, na resposta à insulina, no processo de transformar carboidratos em gordura corporal e no gasto de energia metabólica.

Fonte: Science Alert

Imagens: Parade, The Conversation, Antranik

Primeira transmissão subterrânea de rádio

Matéria anterior

Por que os oceanos Pacíficos e Atlântico não se misturam?

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos