Por que várias línguas compartilham a mesma gramática?
Tempo de leitura:2 Minutos, 53 Segundos

Por que várias línguas compartilham a mesma gramática?

Segundo relatos bíblicos, um dia, os homens já falaram todos um mesmo idioma. Até que, certo dia, enquanto construíam a lendária Torre de Babel de forma extremamente ambiciosa, Deus confundiu seus idiomas e acabaram se espalhando. Por mais que essa não seja uma explicação científica para a pluralidade de línguas, é algo bem aceito por diversas crenças e religiões do mundo.

Ao longo da história, os idiomas sempre estiveram presentes na humanidade. De fato, esse foi um dos principais fatores para nossa civilização. Ao todo, existem aproximadamente sete mil línguas humanas conhecidas no mundo todo.

Por mais que cada uma delas seja única, elas são mais parecidas do que se imagina. Principalmente quando o assunto é a gramática ou a forma com que as frases podem ser formadas e usadas.

Semelhança

De acordo com teorias feitas pelos cientistas, esse fato acontece por conta de determinadas tendências genéticas. Ou então, talvez seja por causa das capacidades cognitivas que todas as pessoas compartilham, como por exemplo, a passagem do tempo que faz com que se desenvolva os tempos passado e futuro.

Agora, um novo estudo feito propõe que a razão para isso acontecer seja a forma como as pessoas falam a respeito da própria linguagem.

“Propomos que, na evolução da linguagem, falar sobre a linguagem foi uma forma de formar algumas das primeiras estruturas linguísticas complexas. E que, a partir dessas estruturas, novos tipos de gramática poderiam se desenvolver”, disse o linguista Stef Spronck, da Universidade de Helsinque, na Finlândia.

Línguas

Vê-se que em várias línguas, a fala relatada ou indireta, no caso frases que comunicam indiretamente o que uma pessoa disse, ao invés de uma pessoa realmente a dizer. Isso pode dar origem a novos significados que se encaixam em determinadas categorias gramaticais.

Um exemplo disso é a frase “ele disse: eu irei” pode significar também “ele pode ir” ou “ele está prestes a ir” em algumas línguas. E essas interpretações não são exatamente fala relatada, mas derivadas dela.

E essa extensão de significado que é vista em algumas línguas em que se usa a fala relatada, pode ser combinada com construções gramaticais como aspecto, mobilidade e tópico.

Justamente por isso, parece que a compreensão coletiva de gramática pode ter surgido da forma como se fala a respeito de outras pessoas. Para ter certeza disso, os pesquisadores analisaram uma amostra de 100 idiomas. Com isso, eles descobriram que a fala relatada é vista em todos os principais continentes, independente das famílias linguísticas.

“Os humanos falam sobre os pensamentos e declarações das outras pessoas o tempo todo, desde o momento em que aprendemos a falar. Isso determina nossas culturas, a maneira como vemos o mundo e em quem confiamos. Um fenômeno tão fundamental para a existência humana provavelmente deixa seus traços nas línguas e nosso estudo mostra que isso vai muito além de simples frases de discurso relatado”, explicou Spronck.

Hipótese

Em conclusão, os pesquisadores sugerem que a fala relatada é uma importante fonte para determinadas partes essenciais da gramática, da mesma forma que o significado de alguns verbos. E na verdade, ela teria sido um dos primeiros exemplos de linguagem complexa que é justamente falar sobre a linguagem.

“Nossa hipótese não pretende substituir as explicações cognitivas tradicionais da gramática, mas fornece uma nova história para o surgimento de categorias gramaticais, particularmente aquelas que são tradicionalmente mais difíceis de explicar”, concluiu Spronck.

Fonte: https://www.sciencealert.com/new-study-explains-why-human-languages-share-a-lot-of-the-same-grammar