Curiosidades

Príncipe é acusado de matar o maior urso da Roménia

0

O príncipe de Liechtenstein foi acusado nesta quinta-feira, 06, de matar o maior urso da Romênia – possivelmente da União Europeia. De acordo com uma reportagem publicada pela Sky News, o incidente ocorreu em março, durante uma expedição de caça. O caso foi denunciado pela ONG romena Agent Green e a ONG austríaca VGT.

O caso

Segundo ambas organizações, à data da expedição de caça, o príncipe Emanuel von und zu Liechtenstein portava uma licença para atirar em urso, que, ao que parece, havia causado alguns transtornos às fazendas locais. Não obstante, o príncipe acabou atirando em Arthur, um urso-pardo de 17 anos que vivia em uma área protegida

Um porta-voz da Casa do Príncipe em Liechtenstein disse à Sky News que não irá comentar sobre o assunto, mas que “que o respeito pela natureza tem sido uma das preocupações fundamentais do principado e que a sustentabilidade ecológica e social tem sido um compromisso da família real”.

Conforme expõe a reportagem da Sky News, documentos compartilhados recentemente pelas organizações confirmam que o príncipe Emanuel, que mora na Áustria, recebeu, à época, uma licença do Ministério do Ambiente romeno que o permitia praticar a caça no condado de Covasna por exatos quatro dias.

Em entrevista à Sky News, Gabriel Paun, presidente da ONG romena Agent Green, revelou não se conformar com o fato do príncipe ter eliminado o maior urso da Romênia. “É claro que o príncipe não veio para resolver o problema dos fazendeiros locais, mas sim para matar o maior urso do país e levá-lo para casa, para exibi-lo como um troféu. O animal deve estar pendurado em sua parede. Esse é um caso de caça furtiva. Não dá para acreditar que o príncipe atirou no urso errado”.

Urso-pardo

Segundo consta na reportagem publicada pela Sky News, em 2016, a Romênia, com o intuito de abraçar a legislação internacional, proibiu a prática da caça furtiva no país. No entanto, exceções foram concedidas pelo ministro do meio ambiente da Romênia quando há casos extremos, como, por exemplo, o do urso que, supostamente, estava causando danos às fazendas da região.

O prefeito de Ojdula confirmou à ONG romena Agent Green que os proprietários de terra relataram constantes aparições de um urso-pardo, mas que o animal em questão era uma fêmea, e não Arthur. “Todos os fazendeiros com quem conversei disseram que nada mudou desde que o urso macho foi baleado e que a ursa continuou a aparecer na região diariamente”, disse Paun.

Para Ann-Kathrin Freude, coordenadora da ONG austríaca VGT, “a atitude do Príncipe Emanuel é uma vergonha para a Áustria”. “É inadmissível que um membro da realeza tenha abusado de uma derrogação para matar este belo urso”.

Um alto funcionário do ministério do meio ambiente da Romênia, Octavian Berceanu, disse à Associated Press que uma investigação sobre o caso foi iniciada em 29 de abril.

Vale lembrar que a Romênia é o país com maior número de ursos-pardos do continente europeu. Há, atualmente, cerca de 6 mil ursos vivendo no país e ocorrências envolvendo os animais estão se tornando cada vez mais comuns desde 2019.

Entenda a batalha judicial entre a Apple e a Epic Games

Matéria anterior

Essa tatuagem desaparece em um ano. Entenda como

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.