Notícias

Procon-SP e Ministério da Justiça pedem explicações sobre o McPicanha

0

No dia 28 de abril, o McDonalds recebeu duas notificações de dois órgãos de fiscalização distintos: Procon-SP e Ministério da Justiça. Os emissores são diferentes, mas o assunto é o mesmo: o polêmico McPicanha.

Apesar do anúncio de lançamento dar a entender que esse prato vinha com picanha, na verdade, ele vem apenas com um aroma que lembra esse corte nobre. Logo, por essa discrepância entre divulgação e realidade, os dois órgãos citados abordaram a rede de fast-food e pediram explicações sobre o caso.

Fonte: McDonalds / Instagram

Fome de justiça 

A princípio, no dia 5 de abril, o McDonalds incluiu uma badalada novidade em seu cardápio. Era o McPicanha, que pelo nome, dá a entender que vem com um dos cortes de carne mais nobres que existem. Todavia, o blog Coma com os olhos revelou que o sanduíche não continha picanha.

Sendo assim, a rede de fast-food resolveu falar sobre a polêmica, assumindo a ausência do item que por si só tem poder de atrair muitos clientes em desaviso. “Os lançamentos trazem a novidade do exclusivo molho sabor picanha (com aroma natural de picanha), uma nova apresentação e um hambúrguer diferente em composição e em tamanho”, defende a marca.

Apesar da nota, o Procon-SP quer outros vários esclarecimentos. Em primeiro lugar, o órgão de proteção ao consumidor quer ver a tabela nutricional dos sanduíches do McDonalds, o que inclui a composição de todos os ingredientes. Além disso, a repartição quer ter acesso aos documentos que atestam os testes de qualidade realizados com os alimentos.


Fonte: fajri nugroho

Por fim, o Procon-SP busca “os gabaritos das embalagens utilizadas para acondicionamento dos produtos nas lojas físicas”. Essa vistoria vale tanto para os embrulhos do consumo in loco quanto aquele feito por delivery.

Por outro lado, o Ministério da Justiça se envolveu com o episódio. O órgão concedeu um prazo de 10 dias para a rede de fast-food explicar se de fato tem picanha no interior do McPicanha. Em caso de resposta negativa, a empresa deverá comunicar se o cliente foi informado dessa ausência.

Nesse sentido, caso o McDonald’s não responda, vai ser aberto um processo administrativo contra a rede por meio da Secretaria Nacional do Consumidor. Como fruto disso, podemos ter até mesmo a perda da licença da unidade que continuar vendendo o McPicanha sem a devida informação quanto ao ingrediente principal.

Propaganda até no Big Brother Brasil

Basicamente, o McPicanha ganhou destaque por se lançar através do reality show mais popular do país: o Big Brother Brasil. Sendo assim, no dia 5 de abril, os participantes do programa reagiram ao prato, sempre com opiniões positivas, é claro.

No entanto, o blog Comer com os olhos recebeu um comprometedor memorando de funcionários da empresa. Neste, está disposto a instrução de montagem do McPicanha. Apesar do nome do sanduíche, o documento define que a carne usada não será a Carne Pic, e sim a que vai no Big Tasty com um molho de picanha associado.

De acordo com o blog, essa informação não deveria estar apenas entre os colaboradores, mas também precisaria estar na divulgação da linha. Por sinal, a propaganda até cita o condimento artificial, todavia, não comunica o fim do uso da Carne Pic.

Em suma, essa omissão pode se encaixar no artigo 23 do Código de Ética do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária). Neste trecho, está expresso que “os anúncios devem ser realizados de forma a não abusar da confiança do consumidor, não explorar a falta de experiência ou de conhecimento e não se beneficiar da credulidade”.

Além disso, o artigo 27 do mesmo texto prega algo que talvez tenha sido desafiado pelo McPicanha. Segundo a regra, um anúncio “não deverá conter informação que leve o consumidor a engano quanto ao produto anunciado”.

Fonte: G1, Correio Braziliense.

Ex-sem-teto Givaldo Souza desfila em conversível avaliado em R$ 500 mil

Matéria anterior

Lembra como o Orkut era? Refresque a memória neste post!

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos