Ciência e TecnologiaNatureza

Quanto aumentará o nível dos oceanos até 2100?

0

De acordo com o novo relatório, emitido pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), o cenário não é nada agradável. O crescente número de evidências científicas, indicando que as mudanças climáticas estão transformando rapidamente os oceanos e a criosfera, aumentaram consideravelmente. O relatório, composto por cerca de 900 páginas, foi divulgado no dia 24 setembro deste ano.

Em suma, o relatório foi escrito por mais de 100 especialistas internacionais. Além disso, é baseado em mais de 7.000 estudos. Até o momento, o relatório é o único documento que mostra de forma abrangente os efeitos das mudanças climáticas.

O documento é o quarto volume do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas produzido em menos de um ano. Em suma, representa o olhar mais abrangente sobre os efeitos das mudanças climáticas nos oceanos. Os outros tiveram como foco o limite de 1,5º C no aquecimento global, o declínio da biodiversidade e uso da terra e sistema alimentar.

O impacto

De acordo com o documento, a mudança climática está aquecendo os oceanos e alterando sua química drasticamente. A mudança não só afeta o ecossistema marinho, como também representa riscos para centenas de milhões de pessoas que vivem ao longo da costa.

Além disso, os oceanos e as camadas de gelo estão sob um estresse severo. As populações de peixes já estão declinando em muitas regiões, à medida que as águas quentes causam desordem nos ecossistemas marinhos.

Como mostra o relatório, as temperaturas mais altas do oceano, combinadas com o aumento do nível do mar, devem ocasionar ainda mais a formação de tempestades severas e ressacas em toda parte do planeta.

“Por décadas, os oceanos serviram como um amortecedor crucial contra o aquecimento global, absorvendo cerca de um quarto do dióxido de carbono que emitem usinas, fábricas e carros. Sem essa proteção, a terra seguirá aquecendo drasticamente”.

Para Katharine Hayhoe, cientista atmosférica e diretora do Centro Climático da Texas Tech University, “sem a ajuda dos oceanos, a temperatura, em um futuro não muito distante, pode ser de 10°C a mais”.

Outros problemas

Uma parcela significativa das emissões mundiais de dióxido de carbono é absorvida pelo oceano. Em suma, desde os anos 80, os oceanos já absorveram cerca de 30% das emissões de carbono. Em contrapartida, desde de 1993, a taxa de aquecimento dos oceanos dobrou.

“Atualmente, a cada hora, estamos despejando um milhão de toneladas de CO2 nos oceanos”, observa Melissa Wang, cientista do Greenpeace. Com isso, 30% a 99% do permafrost de superfície do hemisfério norte poderia derreter até o final do século.

Além disso, como resultado do degelo das calotas polares e das geleiras, especialmente no Ártico, as projeções atualizadas do aumento do nível do mar, em 2100, são maiores que em 2014.

“Atualmente, o nível do mar está subindo duas vezes mais rápido. E poderá acelerar ainda mais. Ou seja, pode chegar a 1,10 metros em 2100. Isso se as emissões não forem drasticamente reduzidas”, disse Valérie Masson-Delmotte, vice-presidente do Grupo de Trabalho I do IPCC, em um comunicado .

Mesmo se reduzirmos as emissões bruscamente, as conseqüências ainda serão desafiadoras. O relatório não deixa dúvidas de que pagaremos um determinado preço por nossas atitudes.

7 fatos que provam que o Dave Grohl, do Foo Fighters, é o cara mais legal da música

Matéria anterior

Seriam as plantas alucinógenas o motivo da fúria dos Vikings?

Próxima matéria

Você pode gostar