Notícias

Salto de paraquedistas termina em pouso forçado e mortes em Boituva

0

Um vídeo publicado nas redes sociais revela uma cena aparentemente normal, mas que acabou em desespero e tragédia. Na imagens, podemos ver a aeronave que fez um pouso forçado com um grupo de paraquedistas, em Boituva, São Paulo, antes do acidente na tarde de quarta-feira (11).

Um dos atletas postou as imagens em seu Instagram e o paraquedista Wilson José Romão Júnior, de 38 anos, morreu após o acidente. No vídeo, o grupo salta do avião e realiza manobras no ar. Assim, gravou-se o vídeo na quarta-feira (11), mas o passeio terminou em um pouso forçado.

Wilson Junior, conhecido como Juninho Skydive, era instrutor de saltos com uma longa carreira, sendo bastante ativo nas redes sociais. Ele postava vídeos e fotos de saltos que fazia com seus colegas.

Além de Wilson, André Luiz Warwar também foi vítima do acidente, aos 53 anos. André trabalhava na área de tecnologia da TV Globo e era diretor de filmes. Seu primeiro longa-metragem foi Crime de Gávea (2017). Dessa forma, André Luiz também era um paraquedista experiente.

Reprodução/Redes sociais

O acidente

A aeronave Cessna Aircraft 208 decolou normalmente com paraquedistas do Centro Nacional de Paraquedismo (CNP) ainda no início da tarde de quarta-feira. No entanto, segundo relatos das vítimas do acidente, houve uma pane elétrica e o piloto precisou realizar um pouso forçado.

A Associação de Paraquedistas de Boituva informou que 16 pessoas estavam dentro da aeronave, contando com o piloto. Assim, 12 receberam socorro e foram encaminhadas para hospitais da região e duas foram vítimas fatais. Quatro pessoas não necessitaram de atendimento médico.

O CNP é um espaço com 99 mil metros quadrados e promove em torno de 20 mil saltos todos os meses. Segundo a Prefeitura de Boituva, é o local onde mais se salta de paraquedas do mundo.

Dessa forma, um paraquedista que estava a bordo da aeronave contou à reportagem da TV TEM que o avião tocou no solo duas vezes antes de colidir contra um barranco. Em seguida, ele capotou e ficou com as rodas para cima.

Rafael Gonzales Alves contou que o pilotou falou sobre o cenário de emergência para que o grupo de paraquedistas se preparasse. Eles acreditaram que iriam conseguir pousar em segurança e comemoraram antes mesmo da aeronave atingir o barranco na área rural.

FAB se pronuncia

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que acionaram os investigadores do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) para realizar a ação inicial do acontecimento em questão.

Segundo a FAB, na ação inicial: “utiliza-se técnicas específicas, conduzidas por pessoal qualificado e credenciado, os quais realizam a coleta e confirmação de dados, a preservação de indícios, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo de investigação”.

Além disso, a FAB ressaltou que o objetivo das investigações realizadas é de prevenir outros acidentes semelhantes a esse. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave de prefixo PT-OQR estava apta para realizar voos, visto que estava com o Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) em dia, segundo dados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB).

Nota de pesar

Em face dos acontecimentos, a Prefeitura de Boituva emitiu uma nota. Segundo a administração municipal, o avião era da empresa de Serviço Aéreo Especializado “Skydive4Fun”.

Além disso, o governo municipal informou que conduziram duas reuniões sobre o protocolo de atendimento de segurança, adoção de procedimentos e melhorias na gestão, estrutura e operação das atividades no CNP.

Já o CNP lamentou o ocorrido e prestou apoio às famílias das vítimas, tanto das fatais quanto das que estão sob cuidados médicos. Dessa forma, segundo o CNP, “esta é a primeira vez que enfrentamos um acidente com paraquedistas a bordo de uma das aeronaves que nos prestam serviços”, e que “lamenta e se solidariza com os familiares e amigos dos atletas que perderam a vida nesse trágico acidente, bem como com os que sofreram ferimentos e estão sob cuidados médicos”.

“O momento é de tristeza, união e solidariedade, no aguardo das investigações, para que sejam identificadas as causas do acidente”, completa o CNP

Fonte: G1

Entenda como foi feita a imagem do buraco negro

Matéria anterior

Filho recebe processo dos próprios pais por não lhes dar um neto

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos