• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Senhor de 92 anos atende crianças de graça em cidade do interior

POR Bruno Dias    EM Compartilhando coisa boa      26/07/19 às 17h40

O que você já fez para ajudar aqueles a sua volta, os que realmente precisavam? Acontece que, mesmo que muitos não acreditem nisso, pequenas ações podem mudar o dia de uma pessoa e até mesmo a sua vida.

E, para conseguir fazer uma boa ação, não é preciso gastar rios de dinheiro ou perder todo o seu tempo. A verdade é que, para mudar o mundo, você não precisa de muita coisa além de uma boa ação.

Isso tudo pode parecer mais um daqueles discursos humanitários e motivacionais. Mas se você parar para pensar, talvez, seja exatamente disso que as pessoas precisam. O fato é que, se algumas palavras já são capazes de fazer uma grande diferença, então imagine o que aconteceria se o ser humano realmente decidisse se mobilizar para um bem maior.

E provando que a idade não é um empecilho na hora de fazer algo pelo próximo, esse senhor, de 92 anos, dá uma lição em todos nós. Ivan Fontoura é pediatra e todas as segundas e quintas-feiras caminha com sua esposa, Eva. Ela é enfermeira e o acompanha até o posto de saúde que fica em Praia Leste. O local é um balneário de Pontal do Paraná. Eles fazem isso para atender de forma gratuita 30 crianças.

Ajuda

O casal faz a boa ação e tem a sensação que, no final do dia, eles terão uma sensação de trabalho recompensador. O trabalho que eles fazem é inteiramente filantrópico, já que os dois não recebem nada para fazer o serviço. "Eu vou [trabalhar] até quando não poder mais", diz Ivan.

"Eu quero morrer em pé. Fisicamente eu sofro, trabalhando sem parar, descansando só para tomar um café, mas ser médico é isso. Depois, a gente se recompõem e continua", continua.

"Eu já ganhei dinheiro que dá pra viver. Sempre estive ligado às crianças com necessidades, na parte social, e quis continuar. Havia necessidade de ajudar aqui, porque o povo me conhece e acaba pedindo. Agora então, com o apoio da Secretaria de Saúde, faço isso de forma organizada. Minha esposa me ajuda muito, é uma grande parceria", explicou.

O pediatra se formou em 1951, com 24 anos, pela Universidade Federal do Paraná. Depois, ele fez pós graduação e mestrado na Universidade da Califórnia. Além de também fazer doutorado na Sourbone, na França.

Ivan tem um carinho especial pelas crianças. Ele dedicou 68 anos de sua vida à medicina e boa parte deles foram na pediatria. Ser médico sempre foi um sonho de Ivan, desde os quatro anos de idade.

Respeito

"A verdade é que eu comecei a querer ser médico após receber uma visita de um cirurgião, há quase 90 anos. Eu vi o atendimento dele e aquilo foi mágico. Devagarinho, fui estudando e sempre pensando em ser médico. A Medicina deu muito trabalho, mas é uma fonte de muita alegria. Compensa muito", ressaltou.

Em 2005, Ivan se aposentou. O último trabalho dele foi como diretor de hospital. E enquanto ele estava no cargo, tentou implantar um atendimento mais humanizado na instituição."Aquilo foi sério e me cansou muito. Então, tive que sair meio rápido, porque percebi que ou tomava um pouco de "rivotril" ou parava. Então, resolvi parar e, depois de um ano de descanso, comecei a trabalhar de novo, voluntariamente", contou.

As pessoas da Praia de Leste têm um grande respeito e admiração pelo senhor de 92 anos. E isso é mais pela humildade de Ivan do que pelo seu trabalho voluntário. "Não houve dia na história da medicina que não tenha aprendido algo diferente. A medicina faz você aprender, viver momentos dramáticos e guardar tudo para sempre", disse o nonagenário.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+