Notícias

Homem diz que quebrou braço de idoso após ter sido ameaçado de morte

0

Em nenhuma circunstância, brigar no trânsito é uma boa ideia. Nesse sentido, na semana passada viralizou um vídeo de um homem quebrando o braço de um idoso de 63 anos no meio do tráfego.

O caso aconteceu na cidade de São Vicente, na baixada santista. Na segunda-feira (18), o agressor veio a público explicar a sua versão do incidente. De acordo com ele, a vítima idosa portava uma arma e lhe ameaçou de morte. Logo, na versão do investigado, a fratura no braço foi uma estratégia de legítima defesa.

Fonte: TV Globo / Reprodução

Deu pra ouvir o estralo…

A princípio, no dia 12 de abril, passageiros de um ônibus registraram o momento em que um homem desce de seu veículo para agredir um idoso, que estava em outro carro.

Nas cenas, é possível ver que João Batista Dias, de 52 anos, força o braço do idoso para fora do carro. Sendo assim, o agressor só solta o membro da vítima após perceber que o fraturou

De acordo com as autoridades, o agressor cometeu o ato após receber uma buzinada do homem que futuramente ele viria a machucar. Essa sequência de fatos se confirma na versão de testemunhas que preferiram não se identificar. Conforme o relato delas, enquanto segurava o braço do idoso, João Batista proferia frases como “Sabe com quem está falando?” e “Sabe para quem você buzinou?”

Ainda segundo os presentes, o motorista de um ônibus percebeu a cena violenta e buzinou para chamar a atenção de uma viatura. Porém, o agressor fugiu antes que a polícia entrasse em ação.

Depois da violência, a vítima não recebeu atendimento no local. Ao contrário, ela dirigiu com o braço quebrado até sua casa. Lá, sua esposa o acolheu, e em seguida, chamou uma ambulância.

Além do dano físico, o idoso também precisará lidar com prejuízos financeiros. Afinal, ele é motorista de aplicativo e precisará ficar dois meses e meio longe do volante.

Bastidores da agressão 

Segundo a vítima, o conflito não começou onde as cenas foram gravadas. A princípio, o idoso buzinou por conta da lentidão do trânsito à sua frente, no qual estava também João Batista. Logo, ele buscou e conseguiu ultrapassar o agressor.

Depois da ultrapassagem, a vítima percebeu que alguém estava lhe seguindo. Então, assim que parou em um semáforo, olhou para o lado e viu João Batista segurando seu braço até quebrar.

Ao G1, o idoso desabafa: “jamais imaginei, até porque, se alguém buzina para mim, eu não agiria dessa forma. Eu entenderia que, às vezes, você está com alguma coisa na cabeça, e dá ‘aquele branco’. Acho que não é necessário tudo isso. A coisa tomou uma proporção muito grande, que eu nem imaginava. Nunca aconteceu isso comigo no trânsito”.

Versão do agressor 

De acordo com João Batista, ele é quem foi a vítima da situação. Na versão dele, tudo começou quando o aposentado estava dirigindo em baixa velocidade em uma avenida. Portanto, o agressor queria passar mas o motorista de aplicativo não dava passagem.

Dessa forma, João Batista ultrapassou pela direita, o que teria irritado o idoso. Logo, conforme afirma o homem de 52 anos, o aposentado emparelhou o carro com o dele e fez um sinal de arma.

Mais adiante, em outro semáforo, a dupla ficou novamente emparelhada. Dessa vez, segundo o agressor, o idoso abaixou no banco do carro. Portanto, João Batista teria entendido que ele estava pegando uma arma e, imediatamente, pulou para fora do carro.

“Quebrei o braço dele. Dá para ver isso na filmagem claramente, não vou mentir. Estou aqui para expor isso, por Justiça. Quis quebrar o braço dele porque eu não tinha opção. Se não quebro, quando eu virasse as costas, ele me baleava. Eu ia ser só uma vítima fatal”, conta o agressor ao G1.

Fonte: TV Globo / Reprodução

A confirmação ou rejeição dessa defesa está em análise pela Delegacia Sede de São Vicente. A esposa da vítima, que não quis se identificar, pede justiça: “Foi uma brutalidade tremenda, uma falta de amor ao próximo. Ninguém merece isso. O agressor não merece viver em sociedade. Ele é um monstro”.

Fonte: G1.

Celular protege policial de tiro de fuzil em Guarapuava (PR)

Matéria anterior

Tesla: funcionários vão ter que dormir no chão da fábrica em Xangai

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos