• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 hobbies mais estranhos de reis durante a História

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      30/07/19 às 14h32

Muitas pessoas sonham em ser rei ou rainha. Mas, na verdade, é uma tarefa difícil. Enquanto a riqueza e o poder são uma espécie de benção provocada, os monarcas vivem a vida inteira sob o olhar do público. Todos os seus atos são observados e criticados por milhares de pessoas. Sua posição central muitas vezes significa que eles têm pouco ou nenhum controle sobre suas agendas pessoais. Seus dias estão cheios de obrigações políticas e cerimoniais que poderiam causar danos consideráveis ??se não acontecerem de uma maneira eficiente. Ainda está animado em ser um monarca? Talvez seja melhor pensar duas vezes. Por outro lado, algumas pessoas lidam melhor com essas pressões do que outras. Uma maneira de não surtar no meio disso tudo: cultivar hobbies (mesmo que sejam estranhos). Confira 7 hobbies mais estranhos de reis durante a história.

A história está repleta de governantes bem sucedidos, mas também está cheia de pessoas que sucumbiram à pressão e sofreram problemas de saúde mental e física. É um trabalho estressante e muitos deles só sobreviveram dedicando-se em atividades incomuns.

1- Abdulamide II - Carpintaria e Literatura

O Império Otomano tinha um monarca hereditário que desempenhou um papel ativo na política. O último sultão otomano a exercer o poder absoluto foi Abdulamide II, que foi derrubado em um golpe em 1909.  Suas preocupações sobre sua insônia entraram em voga, Por isso, desenvolveu passatempos.

Um dos favoritos era a carpintaria, que ele praticava para aliviar sua fadiga. Ele se tornou prolífico, mesmo produzindo alguns dos móveis que sua família usava.

Também era um grande fã de romances, particularmente no gênero de detetive. Enquanto as primeiras traduções turcas de histórias de Sherlock Holmes foram publicadas em 1908, o sultão as descobriu anos antes. Traduziu por meio de um escriba da corte, acumulando uma grande coleção.

2- Jorge III - Agricultura

Jorge III, o rei que perdeu as colônias americanas, é frequentemente chamado de Rei Louco (alo, daenerys). Enquanto ele infelizmente sucumbiu à doença mental em seus últimos anos, foi o monarca da Grã-Bretanha por mais de meio século. Na maior parte do tempo, ele era um monarca absolutamente sadio e bem-sucedido (alo, daenerys!).

Durante grande parte do seu tempo como rei, ele foi ridicularizado com o apelido de "Fazendeiro Jorge". Isso porque ele tinha um grande interesse em agricultura, escrevendo artigos sobre. Muitos na época achavam estranho, mas a agricultura era a indústria dominante no país.

A atenção de Jorge ajudou a alimentar a revolução agrícola que estava ocorrendo na época. Esse é um dos hobbies mais estranhos de reis durante a história.

3- Jorge V - Selos

Seu principal hobby era colecionar selos. Começando como um jovem príncipe, ele continuou sua coleção em seu tempo como monarca, mesmo através do caos da Primeira Guerra Mundial. O que é incomum sobre o hobby de George foi quantos selos colecionou durante sua vida. O montante é composto de 328 álbuns de 60 páginas cada.

São quase 20.000 páginas de selos. Sua paixão lhe valeu o apelido de "O Rei da Filatelia", sendo filatelia o nome próprio da coleta de selos. Ele foi eleito vice-presidente da Real Sociedade Filatélica de Londres em 1893.

Em 1905, enquanto ainda era um príncipe, estabeleceu um novo recorde para o valor gasto em um selo: £ 1.450 - cerca de US$ 220.000 atualmente.

4- Farouk - Colecionador

O rei Farouk, o último rei do Egito, era um homem egoísta. Comia, bebia e jogava em excesso. Seu reinado foi dominado por escândalos de corrupção, seu povo estava empobrecido e sua corte estava repleta de riqueza. O exército egípcio acabou intervindo, expulsando-o em 1952.

Farouk foi talvez um dos maiores acumuladores da história. Sua coleção pessoal consistia em milhares de camisas de seda, uma frota inteira de Cadillacs e 50 bengalas douradas cravejadas de diamantes.

Ele colecionou uma quantidade absurda de móveis franceses de estilo barroco, tanto que ganhou o apelido de "Louis-Farouk". Esse é um dos hobbies mais estranhos de reis durante a história.

5- Eduardo VIII - Aviação

Eduardo VIII foi rei do Reino Unido por menos de um ano. Ele foi um dos poucos monarcas da história britânica a nunca ser oficialmente coroado. Seu curto reinado foi dominado pelo medo de que ele danificasse ou até mesmo destruísse a monarquia para sempre. Ele provavelmente era um simpatizante nazista. Visitou Hitler em 1937 e, mais tarde em sua vida, confessou em particular que achava que Hitler não era um homem mau.

Escusado será dizer que, depois da abdicação de Eduardo, Jorge VI não o queria de volta. Na verdade, Jorge ameaçou cortar inteiramente a permissão real de Eduardo se ele tentasse retornar à Grã-Bretanha. Em seu tempo livre, porém, Eduardo era um ávido fã de aviação.

Ele foi o primeiro membro da família real a se apresentar em um evento público e tinha sua própria licença de piloto. De maneira típica, ele era aparentemente um aventureiro.

Em seus últimos dias como rei, ele elaborou um plano de fugir do país de avião, chegando mesmo a reservar um hotel no continente. Foi apenas pelas ações da inteligência do governo britânico que o voo foi interrompido na manhã que deveria decolar.

6- Henrique VII - Tênis

Um político astuto, ele reformou o governo da Inglaterra e tornou-o extremamente rico, avançando comércio e indústria e cortando gastos. Não é de admirar que ele seja o monarca britânico favorito do ex-chanceler George Osborne. Henrique VII era excepcionalmente sério, raramente sorria e passava longas horas trabalhando.

De muitas maneiras, ele era o oposto total de seu filho. No entanto, compartilharam uma grande paixão: o tênis. Esse esporte era comum entre a nobreza inglesa e, como Henrique VIII era um grande esportista, não é surpresa que ele gostasse de um jogo de tênis. Esse é um dos hobbies mais estranhos de reis durante a história.

Por causa do interesse do rei, tornou-se um esporte amplamente apreciado na corte real. Uma tradição que continuaria sob seus sucessores. Em seus últimos anos, quando ele não podia mais jogar, ele continuou a assistir e apostar em partidas.

7- Olavo I - Facas de Malabarismo

Para ser um governante de sucesso, um rei viking tinha que ser um atleta talentoso. Há muitas histórias de reis vikings e suas conquistas esportivas, mas a saga de Olavo I é particularmente impressionante. Ele tinha alguns hobbies incomuns: primeiro, ele era um grande alpinista. Escalava facilmente o Smalsarhorn na Escandinávia.

Quando um de seus seguidores ficou preso no meio do caminho, diz-se que Olavo I foi até ele e o carregou de volta para o chão sob um dos braços. Também se entregava a outras atividades ousadas das quais os guerreiros vikings frequentemente participavam.

O mais interessante é que ele descobriu um truque único que parece ter ganho muitos adeptos: ele tinha a habilidade de "brincar com três facas de modo que sempre estivesse no ar. Sempre as pegava pelos punhos". Esse é um dos hobbies mais estranhos de reis durante a história.

Em outras palavras, ele poderia fazer malabarismos! Essa destreza parece tê-lo ajudado em outras áreas de sua vida, já que ele podia lutar com uma arma em cada mão e lançar duas lanças de uma só vez. Gênio.

Próxima Matéria
Via   listverse  
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+