CuriosidadesHistória

Estudo mostra que homens bombados preferem sociedades desiguais

0

Chegue em homens bombados e diga a eles que eles vão ser beneficiados por um programa social chamado “bolsa-Whey”. Por incrível que pareça, há grandes chances de boa parte deles recusarem o benefício. É o que mostra a pesquisa do professor de Ciência Política Michael Bang Petersen, da Universidade de Aarhus, na Dinamarca.

Basicamente, ele revisou outros 12 estudos que relacionam os tamanhos dos músculos com as posições políticas masculinas. Durante as análises, o pesquisador acessou os dados de 6.300 homens de seis países: Dinamarca, Estados Unidos, Ucrânia, Polônia, Lituânia e Venezuela.

Como resultado disso, o investigador chegou à conclusão de que homens musculosos tendem a ser mais conservadores e contra políticas de redução da desigualdade.

Fonte: Binyamin Mellish

Reino dos mais fortes

A princípio, os voluntários da pesquisa passaram por uma análise física, de modo a classificar seus níveis de musculaturas. Em seguida, os participantes se dirigiram a um questionário sobre temas políticos e sociais.

Entre as perguntas, estavam algumas como: “Você acha que deveria haver uma taxação sobre grandes fortunas?”. Sendo assim, ao cruzar os dados, ficou nítido para o pesquisador que homens musculosos iam contra políticas públicas com foco em reduzir a diferença de renda e de condições de vida.

De acordo com o estudioso, a chave para entender essa posição está lá nos tempos em que o ser humano ainda vivia nas cavernas. “Ancestralmente, nossa sociedade girava em torno do fato de que um homem mais forte não precisava depender do coletivo para subir na hierarquia de status”, explica ele em entrevista para a revista Super Interessante.

Ainda conforme aponta o professor, nesse período da história humana, os conflitos e as competições se resolviam na força física. O tempo passou e hoje, o sucesso de alguém se liga de forma especial com a inteligência dessa pessoa em lidar com recursos. No entanto, para os bombadões, ainda resta uma crença inconsciente de que eles podem subir na pirâmide social sem a ajuda de ninguém, já que eles são fortes.

Fonte: Pixabay

A questão aqui é que esses homens musculosos não guardam esse estilo de vida competitivo apenas para si. De acordo com o estudo, eles tendem a pensar que toda a sociedade deve vigorar na lei do mais forte.

A propósito, mesmo que o homem bombado fosse pobre, o questionário mostrou que ainda assim ele se postava contra políticas de amparo social que pudessem lhe beneficiar. Afinal, existe uma crença interna nele de que um dia ele estará no topo da hierarquia.

E as mulheres musculosas?

Ao contrário do que acontece com os homens, Petersen não encontrou uma relação direta entre os portes físicos das mulheres e suas ideologias políticas. Conforme explica o professor dinamarquês, a raiz disso está no papel social da mulher durante a Idade das Pedras.

Neste momento, elas não se colocavam em selvagens brigas e resoluções de conflitos. Logo, desde sempre, elas souberam que há formas de solucionar problemas sem precisar ir para as vias de fatos. Nesse sentido, isso respinga até hoje nas visões de mundo que as mulheres costumam ter.

Fonte: Scott Webb

Segundo o professor, a população feminina passou por um processo de evolução psicológica pela qual alguns homens ainda não passaram totalmente. Logo, as culturas e as sociedades mudam, mas alguns sujeitos do gênero masculino seguem com ideais que valiam apenas em tempos selvagens da humanidade.

Além disso, o estudioso destaca que essa pesquisa desafia a ideia de que nossas visões de mundo se formam apenas por conta de experiências e raciocínios lógicos. Afinal, a pesquisa com os 6.300 voluntários demonstrou a influência de realidades ancestrais na forma de pensar atual.

Fonte: Super Interessante

NASA anuncia novos trajes espaciais

Matéria anterior

Jovem se arrisca para gravar imagens no ponto central de um tornado

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos